10/11/2020

Vejo homens como árvores que andam

 

E chegou a Betsaida; e trouxeram-lhe um cego, e rogaram-lhe que o tocasse.E, tomando o cego pela mão, levou-o para fora da aldeia; e, cuspindo-lhe nos olhos, e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe se via alguma coisa.E, levantando ele os olhos, disse: Vejo os homens; pois os vejo como árvores que andam.

Depois disto, tornou a pôr-lhe as mãos sobre os olhos, e o fez olhar para cima: e ele ficou restaurado, e viu a todos claramente.

E mandou-o para sua casa, dizendo: Nem entres na aldeia, nem o digas a ninguém na aldeia.


Marcos 8:22-26


Esse sem dúvida é um dos milagres mais extraordinários que Jesus realizou, não necessariamente do ponto de vista do ato em si (Jesus curou outros cegos), mas pela forma como ensinava através de tudo que fazia.

Nada era acidental, todos os milagres por ele operado traziam alguma lição, sempre era mais que o ato de curar ou apenas algo sobrenatural aos olhos dos homens.

O contexto imediato do texto acima revela a dificuldade que os discípulos tinham de manter a fé e aprender lições tão importantes.

Logo após uma estrondosa manifestação sobrenatural (ele alimentou uma multidão de 4000 homens com apenas sete pães e alguns peixes), eles entram no barco e partem para outro local.

Foi então que perceberam que tinham se esquecido de levar pão.

“E eles se esqueceram de levar pão e, no barco, não tinham consigo senão um pão.

E ordenou-lhes, dizendo: Olhai, guardai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes.

E arrazoavam entre si, dizendo: É porque não temos pão”.


Marcos 8:14-16


Nesse ponto Jesus os adverte dizendo:

“E Jesus, conhecendo isto, disse-lhes: Para que arrazoais, que não tendes pão? não considerastes, nem compreendestes ainda? tendes ainda o vosso coração endurecido?

Tendo olhos, não vedes? e tendo ouvidos, não ouvis? e não vos lembrais,

Quando parti os cinco pães entre os cinco mil, quantas alcofas cheias de pedaços levantastes? Disseram-lhe: Doze.

E, quando parti os sete entre os quatro mil, quantos cestos cheios de pedaços levantastes? E disseram-lhe: Sete.

E ele lhes disse: Como não entendeis ainda”?


Marcos 8:17-21


O milagre envolvendo nosso tema principal era uma lição para aqueles homens.

O ocorrido com aquele cego mostrava a condição dos discípulos e de muitos hoje. O cego depois do primeiro toque de Jesus diz: “Vejo homens como árvores que andam”.

Entendem a situação? É difícil descrever a condição daquele homem. Não podemos dizer que ele é cego, porque pode ver; mas hesitamos em dizer que ele pode ver, porque ele vê “os homens como árvores que andam”, ele vê de forma confusa.

Afinal, ele vê ou é cego?

Nem uma coisa nem outra. Por isso Jesus menciona o “fermento dos fariseus”. O fermento tem o poder de fazer algo parecer maior do que de fato é.

Hoje existe uma multidão de cristãos miseráveis por causa da falta de clareza daquilo que de fato são, é quase impossível defini-los. Você olha para a pessoa e diz: “Eis aí um cristão”, depois o vê novamente e de verdade você não sabe exatamente o que ele é.

O poder de Jesus não era menor, ele poderia ter restaurado completamente a visão daquele homem com apenas uma palavra, mas, apenas depois do segundo toque de Jesus ele passou a ver as coisas como de fato eram.

Talvez você esteja exatamente assim, com sua visão turva, obscurecida, não consegue ver as coisas como de fato são. Mesmo depois de ver manifestações sobrenaturais da parte de Deus, ainda duvida de que ele está no controle da sua vida.

Ore a Deus, pode ser que nesse momento você precise de um segundo toque, para que tudo faça outra vez sentido para você.



Clique aqui para ler no site
Pr Ansemo Melo


Author Image

Anselmo Melo
Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Sou fundador e presidente da Associação Projeto Resgate Vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante,
Você pode elogiar ou criticar, observe apenas:

1-Não publicamos criticas de ANÔNIMOS e nem comentários que não estejam relacionados com o assunto.

2-Baixarias e palavrões também não.

3-Nem todas as publicações são de minha autoria e o fato de estarem aqui não implica necessariamente em que eu concorde com todo o teor do post.

4- Quer ser respeitado? Mostre respeito!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *