12/12/2017

4 sinais de que você passou dos limites na briga de casal

Desentendimentos acontecem, isso é normal. Mas resolva-os e tenha cuidado! Veja se você passou dos limites na briga de casal identificando estes sinais.

Um casal, obviamente, é formado por um homem e uma mulher, que sendo duas pessoas diferentes, têm personalidades diferentes, hábitos diferentes, pensamentos diferentes, por mais que tenham muitas coisas em comum. Portanto, muitas vezes se desentenderão, mas o correto é prontamente buscar uma solução para esse desentendimento, através de diálogo e com muita humildade e sabedoria.

Entretanto, alguns casais têm dificuldades em resolver esses impasses, e por vezes ultrapassam todos os limites. Vocês são um desses casais? Veja estes quatro sinais que demonstram que suas brigas de casal passaram dos limites:

1. Desrespeito

O respeito certamente faz parte de um relacionamento saudável, e a falta dele é algo realmente preocupante. O desrespeito desencadeia muitos outros fatores extremamente prejudiciais em um relacionamento, como ofensas, ameaças, agressões - seja física ou moral -, calúnia, difamação, entre outros. Não deixe sua relação chegar a esse ponto. Sem o respeito, vocês não confiam um no outro, vocês falam mal e não se importam com a felicidade e o bem-estar um do outro. Basta um motivo fútil para a tempestade cair sobre vocês, e prontamente as palavras rudes surgem e vocês decidem ir cada um para o seu canto e "terminar" o relacionamento, pois sabem que depois de um ou dois dias já reatarão, pois afinal, isso sempre acontece, sempre. Tenha cuidado, depois de perdido, é difícil recuperar o respeito.

2. Ameaças

Logo depois que um casal perde o respeito um pelo outro, começam as ameaças. É só acontecer um desentendimento bem simples, que já vem aquelas famosas ameaças: "Eu vou embora!", "Vou pedir divórcio!", "Vou contar para todo mundo as coisas que você faz!", "Você nunca mais vai ver nosso filho!". Em relacionamentos doentios, há até mesmo ameaças de morte. Sejam ameaças simples ou graves, não deixe isso acontecer.

3. Agressões

Se vocês já chegaram ao ponto de agredirem-se, vocês ultrapassaram todos os limites, isso é inadmissível. Vocês não têm esse direito, e os princípios de um bom relacionamento contrariam totalmente atitudes agressivas. E não é preciso esperar que ocorram lesões, agressões verbais e morais destroem qualquer relacionamento.

4. Obsessão

Cá entre nós, todos sentimos um pingo de ciúmes, não é? Mas a verdade é que o ciúme não é sinônimo de amor, e esse sentimento leva a algo muito pior: a obsessão. Se seu relacionamento chegou a este ponto, saiba que vocês passaram dos limites, e sim, com muito esforço e humildade, há como reverter essa situação, não perca as esperanças.

É fácil identificar se seu relacionamento é obsessivo, e este é um comportamento interessante, porque por mais que você não tenha essa personalidade, se seu companheiro ou companheira tiver, você acaba se influenciando e correspondendo à obsessão. Você tem sua vida controlada, e então começa a corresponder isso, porque "já que ele(a) faz isso comigo, também farei". Vocês querem saber onde o outro está, com quem está e o que está fazendo, e isso já é um motivo para brigas e troca de ofensas. Vocês tratam um ao outro como propriedade, não têm empatia e a compreensão é praticamente zero.

O amor contraria isso. Se você ama uma pessoa, você quer vê-la feliz, livre para ser ela mesma, quer vê-la sorrir, dançar, cantar e rir com os amigos e família. Amar não é querer ver a pessoa presa, não é controlar como ela deve ser e com quem deve estar. Amar é aconselhar, é advertir e cuidar, e isso nada tem a ver com aprisionar.

Por Fernanda Britto Teixeira de Borba

Fonte: familia.com.br
Author Image

Anselmo Melo
Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Sou fundador e presidente da Associação Projeto Resgate Vida.

4 comentários:

  1. Então tá.
    Esquecendo das coisas que para trás ficam,prosssigamos...
    Gostei bastante do texto,pastor Anselmo.
    Acredito que todo casal tem aquelas briguinhas,o que não é nada bonito.Mas quando as brigas se intensificam e os cônjuges começam a não ter mais repeito um pelo outro,logo começam a fazer ameaças e partem para agressão,aí já não é normal.Tem coisa errada nesse meio.O casamento deixa de ser um jardim de cuidado e amor, e passa a ser um deserto cheio de dores e sofrimento,ficando difícil brotar algo de bom entre o casal.
    Uma vez disse que num casamento não existe aquele que está totalmente certo e o outro errado,ambos são culpados,ambos podem melhorar.
    Sabe o que descobri de uns dias pra cá?Que o que mais está fazendo os cônjuges brigarem e a se separarem é a tal da razão.Cada um acha que tem razão e aí não querem saber de mais nada.
    Os casais estão brigando por pouca coisa,pastor Anselmo.
    As esposas não estão consigo cumprir as leis impostas pelo marido e vice-versa.
    Até o lado que o papel higiêncio está colocado tem causado sérias discussões.O marido acha que tem ficar pra baixo,já a esposa tem certeza que deve ficar ao contrário.
    De um lado a natureza humana de cada um que é difícil demais,do outro,as trevas querendo destruir as famílias.Porque se o inimigo conseguir destruir a família,ele está conseguindo trazer problema para a igreja.E a intenção de Satanás não é acabar só com as famílias cristãs, não,ele está obstinado a acabar com tudo.

    A cura nós já sabemos.Não importa se é um casal cristão ou não,está faltando mais da presença de DEUS na vida dos cônjuges.Aprendi que pedir DEUS para abençoar o casamento não é a saída.DEUS trabalha nas pessoas,no coração de cada um,dai nasce um casamento sadio,um lugar de amor,ternura e cuidado.Porque tudo está no coração e um coração transformado faz toda a diferença em toda e qualquer situação.

    Pessoas transformadas = casamento feliz.
    Bom dia pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente. Esse não é logicamente o ideal para nenhum casal;mas, costumo dizer que um relacionamento pode sobreviver sem amor, sem respeito não.

      Excluir

Seu comentário é muito importante,
Você pode elogiar ou criticar, observe apenas:

1-Não publicamos criticas de ANÔNIMOS e nem comentários que não estejam relacionados com o assunto.

2-Baixarias e palavrões também não.

3-Nem todas as publicações são de minha autoria e o fato de estarem aqui não implica necessariamente em que eu concorde com todo o teor do post.

4- Quer ser respeitado? Mostre respeito!

Autor


Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Presidente do COPEL, Conselho de Pastores Evangélicos de Limeira. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Fundador e Presidente da Associação Projeto Resgate Vida.
Saiba mais →

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *