30/07/2017

5 ações para evitar um divórcio e outras considerações

  • Outro artigo que escrevi, O que o mundo todo deveria deveria saber sobre o divórcio, teve grande repercussão quando foi republicado e postado nas redes sociais. Entre outras coisas, ele ressalta que as crianças são as que mais sofrem em um divórcio e que o divórcio deixa marcas que nunca se apagam na vida dos filhos. Leia-o para se inteirar do assunto.
  • Li vários comentários de pessoas contrárias e a favor do que expus naquele artigo. Uma pessoa veio me procurar pedindo conselhos para sua situação conjugal. Em alguns comentários contrários, as pessoas defendiam que é melhor um casal separado do que brigando na frente dos filhos. Outras justificavas foram usadas para defender o divórcio, tais como: "É melhor se separar quando não há mais afinidade", ou "quando acaba o amor, o melhor é cada um ir para o seu lado", ou então, "Filhos não seguram casamento".
  • Será que o divórcio é a saída mais sábia para acabar com a frustração no casamento? Considerem o seguinte:
  • O que aconteceu com aquele amor do início?

  • É tão lindo assistir a uma cerimônia de casamento, ver os noivos felizes, cheios de esperanças, sonhos, projetos. Vivemos em uma época em que, pelo menos na maioria das culturas, homens e mulheres casam-se por amor. Com o tempo, muitos afirmam que o amor esfriou, a relação perdeu a graça, acabou a sintonia, a atração, etc. Mas o que aconteceu para chegar a este ponto?
  • Amigos, o amor é como uma plantinha. Ele não sobrevive sem ser nutrido. É preciso atos diários e contínuos para mantê-lo vivo e forte. Se o amor enfraqueceu ou acabou, um dos cônjuges ou ambos falharam.
  • O amor pode ser resgatado?

  • Acredito piamente que sim. Mas dará trabalho! Aliás, tudo o que mais tem valor nessa vida requer sacrifícios para conquistar e, principalmente, manter.
  • Você, mulher, pode olhar o marido barrigudo atirado no sofá com o controle remoto na mão e pensar: "Cadê aquele 'pedaço de mau caminho' com quem me casei? Ele era tão atraente! Olha no que virou!" Você, marido, pode olhar para a sua mulher e resmungar: "Ela não era chata desse jeito! Não era desleixada com a aparência e não tinha os seios caídos! Ela gostava tanto de sexo e agora vive arranjando desculpas!"
    • Agora pensem comigo, não são coisas que podem ser resolvidas? E será que o cônjuge se resume somente a isso? E as qualidades? Vocês estão tão concentrados naquilo que não gostam ou nas qualidades de outra pessoa, que nem se lembram que seu marido ou mulher tem tantas qualidades. Se não as tivessem, vocês não teriam se casado.
    • Então, o que fazer para resgatar o amor?

    • Como eu disse, vai dar trabalho! Mas com certeza valerá a pena. Sente-se com seu cônjuge e proponha essa tentativa para evitar o divórcio. Peça a participação e colaboração dele.
    • O primeiro passo não vai ser fácil, mas como é para evitar um divórcio, esse recurso pode ser a única saída.
    • 1. Primeiro passo

    • Façam uma lista com tudo o que vocês não gostam um no outro. Listem tudo, aspectos físicos, comportamentais, emocionais. Coisas que lhes deixam irritados, desgostosos, desanimados com o casamento.
    • Agora façam uma lista de tudo o que vocês gostam e admiram um no outro, desde a forma como o outro fala, a honestidade, a paciência, se cozinha bem, se é trabalhador, etc. Guardem essa lista consigo e vão adicionando itens à medida que forem se lembrando e observando.
    • 2. Segundo passo

    • Troquem as listas de aspectos negativos. Leiam em conjunto. Não é hora de drama, por favor! Tentem analisar friamente o que o outro falou a seu respeito.
    • Conversem sobre o que vocês estão dispostos a fazer para melhorar. Deem ideias ao outro do que ele pode fazer. Podem ser coisas como: atividade física, cirurgia corretiva, controlar o temperamento, buscar ajuda psicológica para corrigir algo no comportamento, mudar o visual, o cabelo, etc.
    • Escrevam as metas de vocês, do que decidiram fazer para melhorar na ordem de prioridades. Coloquem a data para começar. Comprometam-se com essas mudanças. Joguem fora a lista com aquilo que não gostam um no outro e passem a se concentrar nas metas escritas.
    • 3. Terceiro passo

    • A lista que fizeram com as qualidade do cônjuge ficará com vocês. Todos os dias vocês vão ler essa lista e a lista com as metas, e vão trabalhar nas mudanças.
      • 4. Como apoiar um ao outro nas mudanças?

      • Há muitas coisas que vocês podem e devem fazer para se apoiarem mutuamente. Vocês podem se exercitar juntos, acompanhar o outro na ida a um psicólogo, controlar o que é comprado no mercado, evitar situações que acabem em conflito, como, por exemplo: a mulher sabe que o marido está estressado por coisas relacionadas ao trabalho, por isso ela não vai levar outro problema para ele naquele momento.
      • 5. Favoreçam constantemente o clima de romance

      • Vocês estão trabalhando para eliminar seus pontos fracos, estão apoiando um ao outro para que consigam atingir suas metas. Vocês precisam também fazer coisas que despertem o interesse romântico e sexual um no outro, tais como um flerte, um beijo apaixonado, um perfume novo, um passeio de carro, um cineminha, uma música marcante na vida do casal. Vocês se conhecem, sabem do que gostam. Tentem também coisas novas.
      • Vocês precisam de uma noite por semana só para os dois. Mandem as crianças para a casa dos avós. Invistam nisso, amigos! Vocês merecem mais essa chance! Seus filhos merecem que os pais deles fiquem juntos.
      • Em quais casos um divórcio é justificável?

      • Seria mais fácil se os problemas a serem resolvidos no casamento fossem bobos, como os relativos àquelas justificativas que mencionei no início. Mas, infelizmente, nem sempre é assim. Muitas vezes, por trás de um casamento infeliz há violência física e emocional, há dependência de drogas, abuso sexual, pedofilia, incontinência, adultério, criminalidade, desvios de caráter ou problemas sérios comportamentais.
      • Na minha visão o divórcio é justificável nesses e em outros casos graves. Ainda que eu seja uma cristã praticante, jamais incentivaria uma amiga a permanecer em um relacionamento abusivo. Jamais! E tenho certeza de que Deus também não abençoaria um relacionamento desses.
      • A sociedade prega que as pessoas podem trocar de cônjuge como trocam de carro. Deus, contudo, deseja que os casais perseverem até o fim em seu casamento, esforçando-se para serem os melhores cônjuges que puderem, investindo pesado no seu casamento e no seu amor, amando-se e se respeitando, de forma que esse amor seja uma segurança também para os filhos.
      • Amigos, não desistam do seu casamento sem antes esgotarem todas as possibilidades para restaurá-lo. Vocês terão problemas semelhantes, e até piores, caso deixem seu cônjuge para se casar com outra pessoa. Vocês podem voltar a ser felizes juntos, basta querer, e trabalharem em prol disso. O divórcio pode ser o caminho mais fácil, mas as coisas mais elevadas da vida são obtidas a custa de sacrifício.
Author Image

Anselmo Melo
Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Sou fundador e presidente da Associação Projeto Resgate Vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante,
Você pode elogiar ou criticar, observe apenas:

1-Não publicamos criticas de ANÔNIMOS e nem comentários que não estejam relacionados com o assunto.

2-Baixarias e palavrões também não.

3-Nem todas as publicações são de minha autoria e o fato de estarem aqui não implica necessariamente em que eu concorde com todo o teor do post.

4- Quer ser respeitado? Mostre respeito!

Autor


Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Presidente do COPEL, Conselho de Pastores Evangélicos de Limeira. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Fundador e Presidente da Associação Projeto Resgate Vida.
Saiba mais →

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *