14/06/2016

Ela fotografou-se todos os dias durante um ano vivendo sob o abuso e a violência doméstica

Este vídeo mostra a vida de uma mulher que sofre violência doméstica.
Reparem nas expressões dela dia após dia. Alguns dias bons, outros tensos, outros extremamente receiosos, outros onde a violência explodiu, e depois a melhora, o abatimento, e depois começa tudo de novo.
No papel que aparece no final do vídeo está escrito: "Ajuda-me, eu não sei se posso esperar até amanhã".
Isso faz parte do círculo vicioso da violência doméstica. Para ler mais sobre isso, leia o artigo O círculo vicioso da violência doméstica.
Há também outros tipos de violência mais silenciosas. Leia mais no artigo 6 perguntas e respostas sobre violência doméstica.

Independentemente de qual violência uma pessoa sofre, isso é crime, e ninguém merece viver sob esse julgo.
Se você conhece alguém que vive esta situação ou têm dúvidas sobre o que fazer, disque 180, de qualquer lugar do país, e você terá acesso à Rede de Atendimento à Mulher, onde receberá informações sobre o que fazer e onde ir.
Conheça também o projeto PLP20, para combater a violência doméstica, clicandoneste link.
Este vídeo foi feito para uma campanha contra a violência doméstica. Ele retrata a vida de uma mulher que sofre violência doméstica e para conscientizar as famílias e os casais e principalmente as mulheres que muitas vezes se encontram numa situação igual e entenderem que o círculo vicioso da violência doméstica nunca vai melhorar.
Denuncie, passe adiante e salve uma vida!

Por 

Author Image

Anselmo Melo
Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Sou fundador e presidente da Associação Projeto Resgate Vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante,
Você pode elogiar ou criticar, observe apenas:

1-Não publicamos criticas de ANÔNIMOS e nem comentários que não estejam relacionados com o assunto.

2-Baixarias e palavrões também não.

3-Nem todas as publicações são de minha autoria e o fato de estarem aqui não implica necessariamente em que eu concorde com todo o teor do post.

4- Quer ser respeitado? Mostre respeito!