Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Promotor de justiça cancela casamento gay em Florianópolis

Contra a determinação do Conselho Nacional, autoridade cancelou a união.
Promotor argumenta que só aceita casamentos de homem com mulher.
O promotor de justiça Henrique Limongi cancelou um casamento gay em Florianópolis nesta semana. Na habilitação de casamento, a autoridade escreveu que só prestigia união estável ou entidade familiar, se esta for composta por um homem e mulher. Apesar de argumentar que seguiu a lei em vigor, a autoridade foi contra uma resolução do Conselho Nacional de Justiça que autoriza os cartórios e o Ministério Público a aceitarem o casamento homoafetivo.
Para garantir o casamento, que estava marcado para o dia 22 de junho, Leandro Aparecido Gomes e o companheiro já gastaram cerca de R$ 10 mil, mas há uma semana, eles receberam uma ligação do cartório cancelando a união. "Estamos super chateados, inclusive tínhamos tudo marcado até viagem de lua de mel. É uma programação de uma vida inteira, para em pouco tempo ser totalmente desmanchado" relata Leandro.
A Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ) de Santa Catarina autorizou a partir de 29 de abril deste ano a formalização da união civil entre pessoas do mesmo sexo. Com a decisão, casais homoafetivos podem registrar a união em cartórios de registro civil. De acordo com a entidade, o registro poderá ser realizado sem a observância da limitação de gênero que impõe a legislação, mas ambos precisam residir no estado.
Leandro diz que não consegue dormir há três dias. "Estou muito triste. A gente já vive junto há três anos, a gente já tem uma relação. O que queremos é só concretizar um sonho. Um direito que foi conquistado, que é da gente. Só isso que a gente quer", conta.
A linha de aceitação ao casamento gay tem sido adotada em quase todos os casos em Santa Catarina - no estado já foram registrados 44 casamentos em 12 municípios, inclusive em Florianópolis. Porém a lei pode ir contra a argumentação do judiciário, o que deixa nuances de contraditoriedade na argumentação da justiça brasileira.
Com a contradição entre judiciário e legislativo, fica a critério dos promotores, responsáveis por avaliar a legalidade de qualquer união, aceitar ou não a união independente do sexo. Cabe assim ao cartório seguir a decisão do promotor, e caso discorde, a entidade pode recorrer ao Ministério Público.
"Para acabar com esse problema e discussão, precisaríamos que o Congresso Nacional fizesse seu trabalho e autorizasse por lei o casamento entre pessoas do mesmo sexo" explica o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Estado de Santa Catarina (Anoreg/SC), Otavio Guilherme Margarida.
O G1 não conseguiu entrar em contato com o promotor de justiça Henrique Limongi.
Fonte Portal G1

4 comentários:

Ramos disse...

Pastor Anselmo! Que direito conquistado esses patético gays conquistaram hein? E pior que tem gente que apoia isto aí! É lamentável.
É lei e um tal de ministro Joaquim Barbosa passou por cima da Lei sendo ele apenas Julgador e não legislador, que para mim deveria puni-lo por isto, desfazendo a Lei que foram feitas por Deputado Federais e Senadores que são os responsáveis em fazer Leis neste país só eles e mais ninguém.
E esse ministro vai na maior cara de pau e desfaz a Lei que está na Constituição por conta própria. Que é isto aí? Que país é este? Que putaria é esta?
Chega de tanta bandidagem e safadeza nesta país, Políticos roubando do povo trabalhador, bandidos matando a vontade e ficam soltos rindo de nossa cara e dando ordens, gays passando por cima de Leis Constitucional e fazendo sua Leis, não! CHEGA! Não aguentamos mais isto!
Meus caros cidadão do bem, as eleições está chegando, vamos dar o nosso basta nas URNAS, vamos tirar esses políticos corruptos e ladrões da nação de lá, os de sempre, que fazem Leis para beneficiar bandidos como eles, e que querem prejudicar o povo com Leis para gays para difamar e acabar com a moralidade, pondo as famílias do bem ao ridículo.
chegou a nossa hora de agir.
O povo unido jamais será vencido.

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. anselmo,

A paz amado!

Este direito gay imposto por uma irregularidade governamental deve ser denunciado como uma prática ABOMINÁVEL a Deus.

A Família sofrerá com esta ABOMINAÇÃO diante de Deus.

A nossa palavra deverá ser não e não. Não podemos nos calar diante desta afronta ao Senhor nosso Deus.

A maioria condena esta prostituição de valores e não podemos aceitar como modernidade a união de homens com homens e mulheres com mulheres.

Este sentimento vil deve ser combatido com todas as forças.

Parabéns!

O Senhor seja contigo!

O menor dos menores.

Estou encontrando grande dificuldade ou interesse de alguém, para renovar o meu domínio www.pastornewton.com

Perdi muitas referências com esta covardia.

Possuo outro domínio, apesar de ter perdido grandes referências, peço para informar aos amigos e irmãos o novo domínio: www.pastornewtoncarpintero.com

Pr. Anselmo Melo disse...

Prezado irmão Pr Newton.
Infelizmente vivemos tempos trabalhosos. O começo do fim se aproxima com a multiplicação da iniquidade humana.Contudo não podemos abaixar nossas cabeças e nos acovardar.Pela família e pelo Reino de Deus.Sempre.
Vou incluir seu blog para que outros possam localizar seu novo domínio.
Paz!

Luiz Milani disse...

Promotor de justiça não tem participação nisso. A noticia me parece furada.

Real Time Web Analytics
Template personalizado por Elaine Gaspareto

TOPO ▲