03/06/2013

É bom agradar as pessoas. É ruim agradar as pessoas

A vida não é simples. Assim como a linguagem não é simples. Situações diferentes na vida pedem diferentes formas de viver. A linguagem que descreve essas diferenças pode ser muito confusa.
Por exemplo, Paulo diz que tentava agradar as pessoas e que ele não tentava agradar as pessoas (no grego a palavra para “agradar” é a mesma nas duas situações). Ouvintes sensatos são cautelosos para julgar. Eles compreendem que Paulo não estava usando essa palavra no mesmo sentido nas duas sentenças.
Ele fala aos Coríntios, “Não se tornem motivo de tropeço, nem para judeus, nem para gregos, nem para a igreja de Deus. Também eu procuro agradar a todos, de todas as formas. Porque não estou procurando o meu próprio bem, mas o bem de muitos, para que sejam salvos.” (1 Coríntios 10.32-33).
E a diante ele disse aos Gálatas, “Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo.”(Gálatas 1.9)



Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo.
E aqui é um caso concreto da vida real dos dois compromissos: agradar ou não agradar.
Quando Paulo chama Timóteo para o ministério, ele o circuncidou. Por quê? Aqui ele responde:
“Paulo, querendo levá-lo na viagem, circuncidou-o por causa dos judeus que viviam naquela região, pois todos sabiam que seu pai era grego.” (Atos 16:3).
Em outras palavras, Paulo tentou evitar obstáculos desnecessários no seu evangelismo entre os Judeus. Ele era livre para circuncidar ou não. Então ele o fez. Naquela situação ele optou por “agradar” a eles.
Mas em Jerusalém, onde as pessoas estavam exigindo a circuncisão  para ser salvo (Atos 15.1), Paulo viu que o genuíno evangelho estava em risco. Então ele disse: “Mas nem mesmo Tito, que estava comigo, foi obrigado a circuncidar-se, apesar de ser grego.” (Gálatas 2.3)
Em outras palavras, ele não agradou aqueles que queriam circuncidar Tito. Por que ele não cedeu? Ele responde: “Não nos submetemos a eles nem por um instante, para que a verdade do evangelho permanecesse com vocês.” (Gálatas 2.5).
Isso requer um excelente discernimento do evangelho. Nós não queremos por obstáculos desnecessários no caminho do evangelho. Agradar ou não agradar? Sim. E uma forma de sabermos qual é perguntando: O evangelho será engrandecido? O evangelho será comprometido?

Traduzido por Marianna Brandão | iPródigo.com | Original aqui
Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.
Author Image

Anselmo Melo
Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Sou fundador e presidente da Associação Projeto Resgate Vida.

Um comentário:

  1. Pastor Anselmo excelente texto meu irmão! Esta circuncisão foi uma guerra entre o apóstolo Paulo e Pedro, o circulo fechou entre eles. Mas Venceu o propósito de Deus com o apóstolo Paulo.
    Não estamos mais debaixo da lei e sim estamos na graça de Jesus.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante,
Você pode elogiar ou criticar, observe apenas:

1-Não publicamos criticas de ANÔNIMOS e nem comentários que não estejam relacionados com o assunto.

2-Baixarias e palavrões também não.

3-Nem todas as publicações são de minha autoria e o fato de estarem aqui não implica necessariamente em que eu concorde com todo o teor do post.

4- Quer ser respeitado? Mostre respeito!