Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Após confusão, eleição de pastor para presidência de comissão é adiada

É a ditadura gay!
Indicado pelo seu partido para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o deputado Marco Feliciano (PSC-SP) não conseguiu ter o nome ratificado no cargo nesta quarta-feira. A eleição para a mesa diretora do colegiado foi adiada após confusão.
"Vou procurar o presidente da Casa e o líder do PT para colocar a questão. Não tenho condições de fazer a eleição com a comissão nesta situação", disse o deputado Domingos Dutra (PT-MA), que presidia a sessão.
Marco Feliciano: Ditadura gay e direitos humanos
Jean Wyllys: Cinismo cruel
OAB critica indicação de pastor para Comissão de Direitos Humanos
Pastor polêmico é indicado para presidir Comissão de Direitos Humanos
O adiamento ocorreu após pedidos dos deputados Chico Alencar (PSOL-RJ) e Érica Kokay (PT-DF), ex-presidente da mesma comissão. Os dois protestaram contra a indicação de Feliciano, que é pastor evangélico e já externou opiniões consideradas homofóbicas e racistas.

Edson Silva/ - 4.out.2010Folhapress
Pastor Marco Feliciano, em sua casa em Orlândia (SP)
Pastor Marco Feliciano, em sua casa em Orlândia (SP)
A sessão foi marcada pela presença de ativistas e militantes favoráveis a causa dos homosexuais. "O PSC sabia que essa indicação era polêmica ", disse Dutra, que tentou, sem sucesso, iniciar a votação.
Em seu Twitter, a assessoria de Feliciano afirmou que ele saiu da sessão com "lágrimas nos olhos", escoltado por seguranças e quase agredido.
Em 2011, Feliciano declarou no Twitter que os "africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé". Depois, disse que foi mal compreendido: "Minha família tem matriz africana, não sou racista".
O pastor diz que não é homofóbico, mas afirma ser contra o ato sexual entre pessoas do mesmo sexo. Sobre a acusação de ser racista, ele diz que foi mal interpretado.
O papel da comissão é receber e investigar denúncias de violações de direitos humanos e discute e vota propostas na área. E é o presidente da comissão quem determina a pauta dos projetos que devem ser votados.

Fonte: Folha de São Paulo

0 comentários:

Real Time Web Analytics
Template personalizado por Elaine Gaspareto

TOPO ▲