Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Silas Malafaia pode ser elemento prejudicial à campanha de Serra, diz jornalista

"O tiro que saiu pela culatra"
O colunista de O Estado de S. Paulo José Roberto de Toledo escreveu um texto nesta quarta-feira (17) em que avaliou que o apoio do pastor da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo Silas Malafaia prejudicou a imagem do candidato à prefeitura de São Paulo José Serra (PSDB).
Aliado de peso do meio evangélico ao candidato tucano, Malafaia vem proferindo seguidos ataques a Fernando Haddad do PT por conta do kit anti-homofobia, conhecido como kit gay. Ele acusa Haddad, enquanto ministro da Educação, de ter criado o material que serviria para “ensinar a ser gay nas escolas”, segundo o líder religioso.
“Por ora houve um efeito ‘Malufaia’. (…) os disparos contra o kit anti-homofobia parecem ter saído pela culatra, como ocorreu com o apoio de Paulo Maluf (PP) a Haddad no primeiro turno”, escreveu Toledo.
As últimas pesquisas eleitorais do Ibope apontam queda da intenção de voto em relação a Serra justamente entre os evangélicos, de 37% para 28%. Os números das pesquisas com relação a Haddad pouco oscilou: de 50% para 52%.  O dado mais palpável foi o crescimento do voto nulo ou em branco nessa parcela do eleitorado: de 7% para 13%.
Segundo o pesquisador e jornalista Johnny Bernardo, Malafaia possui uma estratégia pré-definida ao manifestar seu apoio a Serra. A intenção do líder religioso seria consolidar sua influência no movimento evangélico brasileiro e se apresentar como uma alternativa aos neopentecostais como Edir Macedo e Marco Feliciano.
“A oposição ao PT e a crescente onda homossexual tem objetivos puramente estratégicos, dado o fato de que, assim como na Igreja Universal em relação ao comunismo, o homossexualismo apresenta-se hoje como um dos maiores inimigos dos evangélicos – as severas críticas dirigidas por lideranças gays às igrejas evangélicas são uns dos indicativos”, diz Bernardo em seu artigo Silas Malafaia: salvador ou estrategista?
Campanha negativa
Segundo Toledo, umas das possíveis explicações para o recuo na intenção de voto em Serra é que o eleitor reage mal a campanhas negativas, “especialmente quando elas extrapolam o limite tênue entre a crítica legítima e a manipulação”. O eleitor estaria cansado da exploração do assunto “kit gay” e estaria se voltando contra o próprio Serra.
O colunista acredita que a campanha negativa irá continuar e trocar o tema “kit gay” por outros temas na pauta negativa. “Serra não precisa convencer eleitores de que ele é o melhor candidato, mas sim que Haddad é uma alternativa pior”.
A indecisão na intenção de voto e o aumento dos votos brancos e nulos pode levar a definição por parte dos eleitores para os dias próximos à data da votação do segundo turno: 28 de outubro.
Por Jussara Teixeira para o Gospel+

1 comentários:

Fabio Silveira de Faria disse...

Compartilho o entendimento do jornalista José Roberto. Entre os evangélicos Malafaia é motivo para divisões, principalmente em São Paulo. Há uma incoerência muito grande em suas posições. Não se pode esquecer que no Rio de Janeiro onde sua influência é muito maior seu apoio foi dado a Eduardo Paes que apóia e defende exatamente o que ele -Malafaia- condena, ou seja, uma exposição maior de apoio aos gays. Existe inclusive vídeos propagando esse apoio, e, convidando os gays de outros países a visitarem o Rio de Janeiro.
O nosso amigo Johnny foi muito feliz em seu artigo, pois captou e mostrou com bastante clareza o foco malafaiano: "Sucesso. Não importa como".
Abraços.
Fabio,cristaodebereia.blogspot.com

Real Time Web Analytics
Template personalizado por Elaine Gaspareto

TOPO ▲