28/06/2012

Pastores comentam sobre o consumo de bebidas alcoólicas por cristãos

Alguns são arbitrariamente contra,
 outros aprovam o consumo desde que seja moderado
O consumo de bebidas alcoólicas por cristãos é um assunto que divide opiniões. Enquanto algumas igrejas permitem o consumo moderado, outras condenam completamente. Mas afinal, a Bíblia proíbe ou não o consumo de bebidas alcoólicas?

Há quem defenda que na Bíblia há apenas a condenação para a embriaguês, como diz o bispo Josep Rossello Ferrer, moderador da Igreja Anglicana Reformada no Brasil. “Não se pode afirmar que a Bíblia condena a bebida. Encontramos nas Escrituras avisos claros contra o estado de embriaguez, que leva à perda do controle dos sentidos, mas não vemos nenhuma restrição ao consumo moderado”.

Ferrer é espanhol e conhece o hábito dos europeus de beberem vinho e cerveja, até mesmo os cristãos protestantes consomem essas bebidas e por isso ele acredita que o costume está ligado à cultura, cultura esta que foi trazida ao Brasil por diferentes missionários.

O pastor Hernandes Dias Lopes também falou sobre o tema em reportagem exclusiva da revista Cristianismo Hoje dizendo que o assunto é delicado, mas que os líderes devem tratá-lo biblicamente, sem se basearem na questão do “pode ou não pode”.



“Este é um caminho que pode construir uma ética farisaica e uma espiritualidade rasa”, disse Lopes que também mostra preocupação diante da violência gerada por pessoas alcoolizadas e pelo crescente consumo entre os jovens.

“Dessa maneira, não se pode fechar os olhos para a realidade de tantas tragédias pessoais decorrentes da bebida e das perspectivas da juventude brasileira, que está sendo consumida pelo álcool”. A dica do pastor presbiteriano é simples: se beber pouco é motivo de escândalo, então se abstenha de beber.

Já para o pastor episcopal Carlos Moreira dizer que o álcool é ruim é “atribuir mal a Deus, que o fez”. Por ser Deus o criador de todas as coisas, Moreira não concorda com a proibição do consumo. “Deus é santo, e em Salmos 104.15 aprendemos que ele fez o vinho, que alegra o coração do homem, assim como o azeite que faz reluzir o seu rosto e o pão, que lhe fortalece”.

Moreira mora em Recife e conta que uma vez foi visto por um membro de sua igreja bebendo cerveja em um restaurante. “Com tom condenatório, aquela pessoa perguntou-me como eu podia estar bebendo”. A resposta, simples e até bem humorada – ‘Minha irmã, não quero e nem posso ser melhor do que Jesus’”.

Contudo ele é a favor da moderação e reconhece que o alcoolismo é um problema grave, afirmando que nenhum cristão deve oferecer motivo de tropeço a um irmão sob o jugo desta doença. Mas o pastor Carlos Moreira também não concorda em ter que eliminar uma coisa só porque há quem abuse da liberdade em usá-la.

“Ora, os homens são levados ao erro por conta de mulheres e bebidas. Deveríamos nós abolir as mulheres?”, diz ele.

Fonte: Gospel Prime
Author Image

Anselmo Melo
Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Sou fundador e presidente da Associação Projeto Resgate Vida.

7 comentários:

  1. Paz meu pastor.

    Assunto delicado mesmo, pois não encontro na Bíblia um (ou na verdade pelo menos três, como pede a hermenêutica) texto que seja taxativo à proibição. Por isso fico com a opinião do Rev. Hernandes "se beber pouco é motivo de escândalo, então se abstenha de beber".

    Acredito que muitos jovens não têm maturidade suficiente para lidar com o álcool e se ainda tiverem o incentivo de sua liderança espiritual, isso pode tomar um caminho perigoso.

    Não bebo desde que conheci a Cristo e, se algum membro em minha igreja pedir a minha opinião, ela seria "não beba".

    Abração...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu querido irmão Pr.Anderson.
      Eis o tipico assunto realmente delicado.Costumo dizer que algumas coisas você se abstém por amor a obra do Evangelho.Se é pecado ou não pouco importa,se traz algum tipo de peso no coração o melhor mesmo é não fazer.Se formos pela linha de raciocínio do colega Pr.Carlos Moreira sitado na matéria,onde ele diz que se afirmarmos que o álcool é ruim é “atribuir mal a Deus, que o fez”. "Por ser Deus o criador de todas as coisas" teríamos também de admitir que não existe problema algum em fumar maconha.
      Com bebida ou sem bebida o assunto requer de nós sobriedade ao ser tratado.
      Paz!

      Excluir
    2. Gostei do comentário do Anderson, achei estranho essa história que Deus fez o álcool, Sei que Deus fez muitas coisas e o homem inventou outras. Não vejo por que ser delicado com essa questão. Não há na Bíblia um texto sequer proibindo coisas, advertências sim. Quando João disse que não devíamos amar o mundo nem o que nele há, deixa claro que cabe unicamente ao cristão, evitar o que corrói. Gostava das bebidas e as consumi até abr/1965 ano em que conheci o Senhor. Hoje, sem beber, louvo a Deus pela minha saúde e o estado de conservação da máquina quase 66 anos. Tudo zerado, louvo a Deus.

      Excluir
  2. Exatamente isso pr. Anselmo, teríamos que admitir que o uso de qualquer outra droga ou prática nociva ao nosso corpo seria lícita. Abraços...

    ResponderExcluir
  3. Pastor Anselmo, álcool é uma droga que mata lentamente.
    Eu bebi até meus 47 anos, e hoje carrego as marcas e estragos que o álcool me fez.
    Tenho apenas meio figado, ou seja um a parte é boa a outra é como se fosse por ex: uma pedra pomo, todo furado e com cor rocheado, todo danificado, não funciona mais esta parte.
    Tenho certa dificuldade de alimentar, pois nem tudo que como digere, e tenho constantemente dor de cabeça e enjôo, e algumas vezes desmaio por isto.
    A bíblia não proíbi beber, mas orienta há não fazer isto, pois todos sabemos que o efeito do álcool nos leva a fazer besteira.
    Não embriaguêis com vinho, mas enchei-vos do Espírito.
    Agora quem fez a cachaça foi o bebum, e não Deus.
    Deus fez a cana de ácucar e o homem a transformou em bebida forte que mata.
    Todos que bebe sabe que o efeito leva a fazer asneiras e virar um palhaço, e alguns cáidos no chão de tanto álcool.
    A bíblia não proíbi, mas adverte o mal que causa, e quem sofre é o nosso corpo, e sabemos que o corpo do cristão é templo do Espírito Santo e não um barril de álcool.
    Só quem tem um alcoolatra em casa sabe o que a bebida faz, ela destroi o lar e a pessoa.
    Então sobre bebida estou fora! Nunca mais!
    Quero viver, mesmos tendo metade do figado!

    ResponderExcluir
  4. Se beber qualquer quantidade de álcool é pecado, então estamos chamando Jesus de pecador, pois Ele mesmo tomou vinho, e não suco de uva, na Santa Ceia. E também Seu primeiro milagre foi a transformação da água em vinho.

    Portanto, devemos sempre analisar tudo minuciosamente, não apenas nos baseando naquilo que NÓS, seres humanos falhos, achamos que deve ser por causa de nossas preferências.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em Levítico 10.9-11, lemos:

      E falou o SENHOR a Arão, dizendo: Vinho ou bebida forte tu e teus lhos contigo não bebereis, quando entrardes na tenda da congregação, para que não morrais; estatuto perpétuo será isso entre as vossas gerações, para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo, e para ensinar aos lhos de Israel todos os estatutos que o SENHOR lhes tem falado pela mão de Moisés.

      Fomos separados para Deus. Como reis e sacerdotes do Altíssimo, não devemos ingerir bebidas alcoólicas para não dar lugar à nossa carne e ao pecado. Além disso, em Provérbios 20.1, é dito o vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; e todo aquele que por eles é vencido não é sábio. O álcool compromete nossos reflexos e nosso bom senso, e prejudica a nossa saúde.

      Essa droga psicotrópica, que atua no sistema nervoso central, pode causar dependência e mudança de comportamento. Além da euforia e desinibição, ela provoca falta de coordenação motora, sono e descontrole. Após alguns anos, os efeitos agudos do álcool são sentidos no fígado, no coração, nos vasos sanguíneos e no estômago.

      Somos templo do Espírito Santo (1 Coríntios 3.16,17). Devemos, portanto, cuidar dele. Além de exercício físico e repouso adequado, precisamos adotar uma alimentação mais saudável e abster-nos de bebidas alcoólicas, fumo e do uso irresponsável e sem prescrição médica de medicamentos.

      Mesmo um copo de cerveja antes de dirigir pode ser fatal. Você sabia que um copo de cerveja demora cerca de seis horas para ser eliminado pelo organismo? Uma dose de uísque, que é bem mais forte do que a cerveja, demora mais tempo ainda. Por isso, a nova lei de trânsito não admite qualquer teor alcoólico ao motorista, uma vez que, ao diminuir seus reflexos, a probabilidade de acidentes aumenta muito.

      O uso do álcool a longo prazo também pode produzir dependência química e cirrose hepática, bem como causar problemas nos relacionamentos interpessoais, atrapalhando o convívio na família e no trabalho.

      Em Romanos 6.16, Paulo exortou: Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?

      Não devemos ser escravos de nada nem de ninguém, quanto mais de bebidas alcoólicas, que nada de bom acrescentam à nossa vida!

      Há aqueles que contra-argumentam: “Ué, mas Jesus não bebeu vinho? Por que os cristãos também não podem?” Jesus e os judeus, de um modo geral, bebiam um tipo de vinho que era resultante da fermentação natural do sumo da uva. Além disso, a questão não é poder ou não poder beber; é não dever. Como Paulo disse em 1 Coríntios 6.12: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.

      Para evitar problemas e mau testemunho, há muitas coisas com aparência de mal de que o cristão deve abster-se. Jesus disse a seus discípulos: É inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual eles vêm! (Lucas 17.1). Não podemos escandalizar ninguém, tampouco ser pedra de tropeço à fé de ninguém. Foi isso o que Paulo a¬ rmou em Romanos 14.13 — Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça — e em 1 coríntios 8.13 — Pelo que, se o manjar escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize.

      São pelas razões acima expostas que nós, evangélicos, não ingerimos bebidas alcoólicas e condenamos essa prática, que pode levar ao vício do alcoolismo, trazer danos à saúde e aos relacionamentos, acarretando a destruição de vidas

      Excluir

Seu comentário é muito importante,
Você pode elogiar ou criticar, observe apenas:

1-Não publicamos criticas de ANÔNIMOS e nem comentários que não estejam relacionados com o assunto.

2-Baixarias e palavrões também não.

3-Nem todas as publicações são de minha autoria e o fato de estarem aqui não implica necessariamente em que eu concorde com todo o teor do post.

4- Quer ser respeitado? Mostre respeito!

Autor


Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Presidente do COPEL, Conselho de Pastores Evangélicos de Limeira. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Fundador e Presidente da Associação Projeto Resgate Vida.
Saiba mais →

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *