Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Deus que não desiste de amar

Oséias cujo nome significa “salvação”, profeta de Deus que viveu entre 741 e 701 a.c. (datação fácil de ser verificada pela lista de reis do v.1) Oséias em seu livro denuncia claramente a corrupção, o orgulho e a idolatria do povo de Israel; a certeza do julgamento de Deus e finalmente a misericórdia dEle diante de um povo arrependido.Os primeiros 3 capítulos fornecem a chave para a compreensão do livro todo, nos quais se vê a infidelidade de Israel para com Jeová durante o período de sua história. Nos caps. 1 a 3, a infidelidade de Israel e a paciência e longanimidade de Jeová são representadas pela analogia do casamento do profeta com uma prostituta. Gômer.
UM CASAMENTO PERTURBADO

Deus diz a Oséias “Vai, toma uma mulher de prostituições....” (1:2). Ao ler esta estranha ordem de Deus a um profeta, o leitor pode pensar que Oséias ao recebê-la saiu e foi a um lugar de prostituição daquela cidade, à procura de uma mulher de vida fácil para casar-se com ela. Mas não é bem assim. É mais natural aceitar que Deus tenha ordenado a Seu profeta que se casasse com uma jovem pura, linda, mas que, em seu pré-conhecimento sabia que posteriormente haveria ela de cair em imoralidade. O que seria um quadro nítido do atual relacionamento de Israel com Deus, pois o povo também traia Deus, como uma mulher trai o marido.

Deus ama Seu povo, e por isso permitiu uma tragédia na vida de Oséias para que compreendessem o profundo amor que existe no coração Divino. Como afirmou alguém; “DEUS ESCONDEU UM EVANGELHO NO CORAÇÃO DOS SOFRIMENTOS DE OSÉIAS”.

A história do casamento deste profeta com uma prostituta, é também a história sobre o amor de Deus pelo Seu povo. Deus disse a Oséias que fizesse a última coisa que um profeta responsável poderia esperar. “Vai, toma uma prostituta por esposa”. Mas esta é também a história de Deus com Seu povo. Foi exatamente isso que Deus fez quando se associou a nós.

Portanto, conhecer a história do amor de Oséias por Gômer, é conhecer o amor de Deus para por Sua Igreja, Seu povo escolhido. Palavras não seriam suficientes para explicar a realidade do amor de Deus pela Sua igreja, e por isso Deus usa o casamento de Oséias, sua tragédia, seus sofrimentos, para transmitir o fato de que Ele tem um profundo interesse por nós. Foi preciso uma representação da vida real, para Deus dizer o quanto nos ama.

TRÊS FILHOS COM NOMES SINISTROS

Desse casamento com Gômer, nasceram-lhe três filhos:

1) JEZREEL (v.4) - Era o nome de uma cidade famosa por suas atrocidades. Era como colocar hoje o nome de seu filho de “Vigário Geral”, ou “Aparecida do Norte” ou “Morro do Alemão”. O julgamento de Deus estava chegando (v.5).

2) LO-RUAMAH (V.6) - Que significa: “NÃO FAVORECIDA”. Ou seja, aquela que não recebe favor ou graça. O nome dessa criança é um quadro do divino desprazer com a apostasia de Israel. Deus diz “Porque eu não tornarei a favorecer a casa de Israel”(v.6).

3) LO-AMI (v.9) - Que significa: “NÃO MEU-POVO”. Gômer engravida pela terceira vez e Oséias fica profundamente a balado. Sabia ele, que este filho não era fruto do seu casamento. Ele não era o pai daquela criança, mas sim fruto da deslealdade de sua mulher.

Deus instruiu Oséias a dar-lhe o nome de “Não Meu-povo”. A separação completa de Deus do Seu povo; um Deus Santo, não poderia concordar com o “adultério” do Seu povo. Ele diz “Porque vós não sois meu povo, nem eu serei vosso Deus” (v.9)

Depois do nascimento do terceiro filho, Gômer se afastou para mais longe ainda de Oséias. O profeta e seus filhos eram literalmente a mensagem de Deus àquele povo de espiritualidade superficial e que tratava a Palavra de Deus levianamente.

Em face de toda esta tragédia que acontece no lar de Oséias, existe ai, uma lição maravilhosa aplicada ao povo de Israel, e que pode ser aplicada ao povo de Deus em todos os tempos: "A igreja é a noiva de Cristo, e assim deve proceder pura, em santificação, desviando-se da corrupção de qualquer espécie, preparando-se para o dia glorioso quando irão se encontrar para uma união perpétua". O amor de Deus para com Sua igreja é tipificado aqui no amor de Oséias por Gômer.

O CONTEXTO RELIGIOSO DE ISRAEL

Oséias conhece bem a que nível se encontrava a espiritualidade daquele povo.

1) Atribuía a Baal as dádivas que Jeová lhes dava (2:8) - Em paralelo ao nosso contexto, temos que: os filhos de Deus, tem atribuído o trabalho, o sucesso, e tudo o que tem, à sua competência, inteligência, capacidade, etc. O Baal dos nossos dias, é representado pelos esquemas e métodos do mundo.

2) Havia muita religiosidade, mas pouco cristianismo (4:15,6:6) - Israel tinha uma religião, mas não tinha um amor leal. Oferecia abundantes sacrifícios mas não tinha conhecimento de Deus (4:6). Deus não se agrada da proclamação da salvação pela fé, se não há correspondente transparência de vida moral e social. O povo estava enganando a si mesmo. “As cãs se espalham sobre ele, e ele não o sabe” (7:9). Todo mundo percebe sua incoerência, menos ele. Foi a religião divorciada da prática que levou Oséias bradar o recado divino “Misericórdia quero, e não sacrifícios! O conhecimento de Deus, mais do que holocaustos” (6:6)

3) Crentes apenas de fim-de-semana (8:1-3) - Como Israel, a nossa sociedade quer uma religião acomodatícia , que não exija, nem imponha restrições ávida social, econômica ou sexual. Os Israelitas eram “crentes” fervorosos no sábado, mas nos outros dias da semana eram enganadores em seus desejos sexuais. Somos adoradores no domingo, mas durante a semana “salve-se quem puder”. Israel quando se separava de Deus, o que só prevalecia era perjurar, matar, roubar, mentir e adulterar” (4:1-2)

4) Vida cristã vazia de conteúdo (6:1-4) - Temos confissões vazias e conversões ineficazes. O arrependimento de Israel era tão passageiro como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada.

Esta era a situação degradante em que se encontrava o povo do Senhor. Tinha se desviado de Deus, abandonou a Javé para ir atrás de outros deuses, de outros amantes (2:5).

O GRANDE AMOR DE DEUS (a analogia aplicada)

O povo havia se prostituído espiritualmente, e como não poderia deixar de ser tornou-se escravo.
Voltemos a Gômer. 

Naquele tempo, a prostituta corria o risco de se transformar em escrava, e foi exatamente o que aconteceu a Gômer. Sua situação se tornou tão aviltante que acabou sendo vendida em praça pública como escrava (3:1-2)

Gômer se corrompera, se desviara, se vendera e caíra num estado deplorável de humilhação. Repetidas vezes tinha ela traído os votos matrimoniais. Mas vemos na ordem de Deus a Oséias em 3:1, quando diz “vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo e adultera” o persistente amor do Senhor pelo seu povo eleito.

Amados, é por demais impressionante que Oséias tendo passado por esse trágico e humilhante episódio familiar, descobre que ainda ama sua esposa infiel e percebeu com isso que o amor de Deus era assim também. DEUS AMA TAMBÉM AS PIORES PESSOAS.

Como nenhum outro escritor, Oséias consegue captar a força extraordinária do amor de Deus pela Sua Igreja. DEUS NÃO DESISTE DE AMAR. Ele ama tais pessoas apesar de sua infidelidade, embora olhem eles para outros deuses.

Oséias, que tanto sofreu no lar com a infidelidade de sua esposa, entendeu o coração de Deus quando descreveu o amor divino nestes termos “MEU CORAÇÀO ESTÁ COMOVIDO DENTRO DE MIM, AS MINHAS COMPAIXÕES A UMA SE ACENDEM” (11:8).O profeta conseguiu reconstruir seu lar com Gômer, quando a comprou no leilão de escravos por “quinze moedas de prata e um ômer e meio de cevada” (3:2). 

Que linda figura Oséias trás diante de nós. Seu nome que significa “salvação”, nos faz pensar na pessoa de Jesus, o nosso Salvador, que em demonstração de seu grande amor por nós, pagou o preço do nosso resgate da escravidão do pecado.O apóstolo Paulo escreve sobre isso quando diz em 1 Co 6:20 “Porque fostes comprados por preço”, na NVI, temos o acréscimo da palavra “alto” para sabermos que foi um “alto preço” pago por nós. 

Pedro diz o preço que foi pago “Sabendo que não foi mediante cousas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que legaram vossos país, mas pelo precioso sangue de Cristo...” (1 Pe 1:18,19). 

Nós também estávamos escravizados pois João diz: “Todo aquele que comete pecado, é escravo do pecado” (João 8:34). Semelhante a Gômer, nós também precisávamos ser resgatados, o preço precisava ser pago.

O RESULTADO DESTE AMOR

Em Oséias, o amor triunfou. O amor em Cristo, triunfou ainda mais. Agora aonde se dizia de Israel “Vocês não são favorecidos” passa-se a dizer: “Vocês são amados favorecidos”. E onde se dizia de Israel que era chamado de “não-meu-povo”, passa a ser chamado de “Vocês são meu povo”.
Deus tinha dado vitória ao lar de Oséias, em nome do amor inabalável. Gômer, teve o significado de seu nome de volta “perfeição”.

Gômer estava de volta ao lar, e os filhos não levavam mais aqueles nomes feios. A família estava unida novamente, e tudo por causa do amor.
O profeta do coração quebrantado chegou a aprender que o coração de Deus é também assim. Quão desesperadamente Deus ama os pecadores! Quão deliberadamente ele busca os pecadores! E quão devotadamente Ele os atrai a Si mesmo!

DEUS NUNCA DESISTE DE AMAR, POIS ELE É AMOR.

0 comentários:

Real Time Web Analytics
Template personalizado por Elaine Gaspareto

TOPO ▲