06/10/2011

Revendo e vivendo o sexo

Hoje eu entendo com mais clareza o porquê do sexo depois do casamento; ou talvez pudesse dizer porque o sexo é o próprio casamento (de forma alguma querendo dizer que casamento é só sexo).
Criada na igreja, sempre foi firme a minha convicção de que sexo só pode depois do casamento. O porquê era simples: sexo antes do casamento é pecado e pode trazer consequências irreparáveis para o relacionamento depois. Confesso que a certeza do pecado era mais relevante do que a outra justificativa.
Com três anos de namoro, com perspectivas concretas para um casamento, os questionamentos eram inevitáveis: “Se o sexo é o casamento, por que a necessidade de esperar um casamento formal?”. Sei que as respostas para essa pergunta não precisam ser descritas aqui, pois são conhecidas por qualquer cristão que decide esperar pelo momento certo. Mas o que considero ser importante dizer, é que de fato vale a pena esperar.

Casei-me com seis anos e oito meses de namoro. Meu esposo e eu experimentamos o sexo pela primeira vez, dentro do nosso casamento.
A realidade é bem distante das comédias românticas e novelas que sempre me encantaram muito. As dificuldades são maiores do que podemos imaginar enquanto namoramos e vemos o nosso instinto à flor da pele. O sexo é muito mais intenso e transcendental do que podemos imaginar.
Na mistura de sonho, vontade, carícias, dor, beijos, alegrias, você e ele, há o encontro de almas, o “um só corpo”. Se acontece ou não o alcance do prazer, tão pregado e divulgado como a melhor coisa do mundo, não se pode garantir, mas que o sexo protegido pelo casamento e pelo compromisso mútuo perante Deus proporciona, ou me proporciona, o ápice do ser mulher, inteira, entregue… sim, me proporciona.
Se os dias são corridos e esse momento a dois começa a ficar desfalcado nas nossas semanas, o que ocorre não é uma necessidade física demasiada, e sim uma necessidade emocional. Uma saudade do meu esposo, mesmo tendo ele todos os dias, acordando e se deitando comigo. Uma saudade de me sentir inteira, uma inteireza que hoje só pode ser com ele.
Toda a dinâmica da aliança do casamento, firmada e consumada por meio do sexo, foi criada por Deus. Um elo que não pode ser rompido a não ser pelo poder do Senhor. Um vínculo que transcende o nosso entendimento e até mesmo o nosso sentimento.
Author Image

Anselmo Melo
Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Sou fundador e presidente da Associação Projeto Resgate Vida.

3 comentários:

  1. Lindo, lindo e verdadeiro!

    Mas, sinceramente, se eu soubesse desse casalzinho em cima do bolo na foto, eu tinha colocado eles no meu bolo de casamento: uma graça!

    Abraços sempre afetuosos.

    ResponderExcluir
  2. que lindo! é exatamente isso q sinto.. a minha entrega e a entrega do meu esposo... é totalmente sem explicação.. é algo muito além do que passam nos filmes, etc... é se tornar um só.. acho lindo q não é somente eu, dá pra ver no rosto do meu amor o quanto que ele se entrega ao momento que é tão nosso... a busca que ele tem de fazer com que eu chegue ao clímax, ele sempre se preocupa com isso, e também faço com que seja bem gostoso para ele... rsrsrs eu sempre conversei com ele, por que homem tem o instinto que leva a usar o corpo, eles são muito visuais e sempre falei com ele: "Não faça orgia, faça amor!" olhando bem nos olhos dele.. as vezes por meu medo de ele não sentir o que sinto por ele, que é tão especial... que é puro... eu costumo a pensar e falar com ele.. "o que a gente faz e vive é tão puro...é muito puro!" e ele sempre concorda comigo, apesar deu saber da mentalidade que eles tem... rsrsrs. Eu sempre zelo por isso, pois a pureza vem de Deus... a cada carícia tem a vontade de amar até quando Deus permitir... :) *-* by: Carine :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Carine por compartilhar sua opinião aqui.Paz!

      Excluir

Seu comentário é muito importante,
Você pode elogiar ou criticar, observe apenas:

1-Não publicamos criticas de ANÔNIMOS e nem comentários que não estejam relacionados com o assunto.

2-Baixarias e palavrões também não.

3-Nem todas as publicações são de minha autoria e o fato de estarem aqui não implica necessariamente em que eu concorde com todo o teor do post.

4- Quer ser respeitado? Mostre respeito!

Autor


Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Presidente do COPEL, Conselho de Pastores Evangélicos de Limeira. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Fundador e Presidente da Associação Projeto Resgate Vida.
Saiba mais →

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *