Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Usos e costumes... de novo?!

Infelizmente esse é um assunto que vira e meche volta à tona. Confesso que não gosto de escrever sobre o mesmo, o tema e controverso e polemico. 


Como agravante tenho dezenas de amigos pastores de denominações que ainda defendem determinados costumes, principalmente impostos as irmãs, de se vestirem dessa ou daquela forma, de poder usar isso ou aquilo.


Abordar o tema dentro de uma perspectiva diferente normalmente acaba por trazer discórdia. De um lado uns acabam tachados de hipócritas, de sepulcros caiados, de fariseus. O outro lado se defende chamando os mais liberais de coniventes com o pecado, dizem que os mesmos compactuam com a sensualidade dentro da igreja e outras coisinhas não tão simpáticas de se ouvir.


A Bíblia deveria ser o norte para chegarmos a alguma conclusão sobre o tema, porem, tanto um lado como o outro acabam por se valer da mesma para defender seus pontos de vista.
Logicamente a defesa de um lado vai forçar a interpretação de determinados textos, uma vez que a Bíblia é uma só e não defenderia duas posições antagônicas em relação a um mesmo tema.
Examinemos o texto que será dividido em dois posts de autoria do Pr Joelson do blog"Graça Plena”. 
Pr Anselmo Melo


Introdução:

Muitas igrejas têm feitos todo tipo de proibições para com as mulheres nas questões de maquiagem e adornos. Com o argumento de que as irmãs devem ser simples como as pombas (Mt. 10:16), estas denominações proíbem e disciplinam qualquer vestígio de enfeites feitos pelas mulheres.
É comum escutarmos alguns irmãos falarem “minha igreja tem doutrina, lá mulher não usa maquiagem, brincos, pulseiras, etc.”. E falam isso com orgulho de pertencer a uma igreja que tem “doutrina”. O que há nessas afirmações é uma confusão entre as palavras “doutrina” e “costume”.
Às vezes pessoas são disciplinadas em certas igrejas por usar ou praticar coisas que aquela igreja julga que é proibido nas Escrituras, quando na verdade é apenas um costume local.
Mas, você pode perguntar: existem passagens que mostram como os homens e mulheres da Bíblia se vestiam e o que usavam? Será que é correto hoje usar tudo o que eles usavam? A Bíblia aponta um padrão para a vestimenta e adornos cristãos? Podem os irmãos e as irmãs se adornarem ou é isso pecado? E aqueles versículos que estas pessoas citam para proibir o uso de enfeites o que querem dizer? Neste capitulo vamos estudar sobre este assunto com detalhes.

I- COSTUME E DOUTRINA.

1.a- Já foi dito aqui que muita gente faz confusão entre “costume” e “doutrina”, a primeira coisa que devemos fazer é definir estes termos, pois existe diferença.
· Costumes estão ligados a usos, a uma prática habitual particular, se baseiam na cultura e na moda vigente naquele tempo e lugar.
· Doutrina. No Novo Testamento, a palavra mais usada para doutrina é didachê e significa: ensino, instrução, tratado. Para uma idéia ser doutrina cristã, é preciso que ela esteja exposta por todo o texto sagrado, e seja válida para todos os cristãos, ou seja, não é apenas algo local ou circunstancial, mas universal.
Observe a diferenças entre doutrina e costume.
·                     Quanto à origem: A doutrina é divina. O costume em si é humano.
·                     Quanto ao alcance: A doutrina é geral. O costume em si é local.
·                     Quanto ao tempo: A doutrina é imutável. O costume em si é temporário

1.b- A doutrina bíblica gera bons costumes, mas bons costumes não geram doutrina bíblica. Igrejas há que têm um somatório imenso de bons costumes, mas quase nada de doutrina. Isso é muito perigoso! Seus membros naufragam com facilidade por não terem a base espiritual da Palavra de Deus, se confiam nas próprias obras e acham que estão mais perto de Deus por não fazer ou não usar isso ou aquilo.

II- O QUE É VAIDADE.

2.a- Temos que definir também esta palavra e observar como ela aparece nas Escrituras Sagradas. É importante a gente se dar conta de que o termo ‘vaidade’, em português, não significa uma preocupação com a estética, como as pessoas pensam e usam a palavra dizendo: “ah, ela é cheia de vaidades!” O termo ‘vaidade’ em português provém do latim vanitas, o sentido básico desta palavra é: ‘em vão’.

1- Vaidade no Antigo Testamento.

a) No AT temos algumas palavras sendo usadas para vaidadeA expressão hebel(vaidade) usada no livro do Eclesiastes 1:2; 2: 11, indica: brevidade e ausência de substância, vazio (Jó 7: 16); coisa vã, que não produz efeito (Jó 9:29); engano (Jr. 16: 19; Zc. 10:2). [1] A The International Standard Bible Encyclopedia nos ajuda aqui com esta palavra e diz que as palavras "vão", "vaidade", "vaidades" são freqüentes na Bíblia. A idéia destas palavras é quase que exclusivamente de algo "vazio” e também “falsidade”.

1- A palavra mais traduzida por "vaidades", ou "vaidade" no AT é hebel, que significa um "sopro de ar, ou da boca", muitas vezes é aplicada à idolatria (Dt. 32: 21; 1 Rs. 16:13; Sl 31:6; Jr. 8: 19); aos dias do homem e ao próprio homem (Jó 7:16; Sl. 39: 5,11), e também aos pensamentos do homem (Sl. 94: 11); e a riqueza e tesouros (Pv. 13:11). No livro do Eclesiastes, onde a palavra ocorre muitas vezes, é aplicada a tudo: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Ec. 1:2; 12:8).
2- Awen, que significa também "sopro", é também traduzida por "vaidade", mas em conexão com "iniqüidade" (Is. 58:9);
3- Shaw é outra palavra freqüente, é traduzida por vaidade e tem também a idéia de “falsidade, maldade” (Êx.20:7, Dt. 5:11; Sl. 31:6).[2]

2- Vaidade no Novo Testamento.

a) A palavra “vaidade” não ocorre freqüentemente no NT, mas em At. 14:15 temos a palavra grega mataios,[3] "vazio", traduzida como "vaidades" (de ídolos); encontra-se também mataiotês, como “transitoriedade” (Rm. 8:20): “A criação ficou sujeita à vaidade (fragilidade, transitoriedade). É traduzida também como “vazio”, “loucura” (Ef. 4:17; 2 Pd. 2:18).[4] Observe que nenhuma vez estas palavras estão sendo aplicadas a questões de se maquiar ou usar certos adereços como brincos, pulseiras, etc.

III- O QUE OS HOMENS E AS MULHERES DA BIBLIA USAVAM?
Os homens e as mulheres da Bíblia se enfeitavam e não era pouco. Eles usavam muitos adornos em várias partes do corpo. A seguir listamos alguns:

3.a- Os homens usavam:
· Anéis e colares (Gn. 41: 42; Ex. 35: 22; Et. 8: 2; Dn. 5: 29; Lc. 15: 22);
· Brincos (Ex. 32:2-3);
· Braceletes (Ex. 35: 22; 2Sm. 1:10);

3.b-As mulheres usavam:
·                     Pendente, pulseira (Gn. 24: 22, 47);
·                     Braceletes, colares (Ez. 16: 11);
·                     Brincos, coroa na cabeça (Ez. 16:12);
·                     Anéis no tornozelo (Is. 3 18);
·                     Cadeias para os passos (Is. 3: 20).

3.c- Observe com atenção que as mulheres e os homens da Bíblia usavam muitos enfeites, não havia a concepção de pecado para tal prática. Todos podiam usar os seus adornos, se vestir bem e se enfeitar para o dia a dia. Nas Escrituras isto nunca foi proibido. A relação de Deus e do povo de Deus com as jóias na Bíblia é muito interessante, preste atenção nessas passagens a seguir:
·
 Êx. 3: 21-22- Deus diz que quando os israelitas saíssem da escravidão no Egito pedissem aos egípcios jóias e roupas para seus filhos usarem. Isso não aconteceria se os israelitas não usassem jóias e se Deus fosse contra as mesmas.
·
 Êx. 35 4-5, 20-22, 30- 36:3- Veja que os objetos do Santuário que Deus mandou Moisés construir para ser sua casa de adoração, foram feitos cm as jóias do povo. Se jóias fossem algo pecaminoso Deus as usaria na Sua casa?
· Nm. 31: 50- aqui encontramos as jóias do povo sendo usadas como oferta expiatória para Deus. Deus aceitaria como oferta algo pecaminoso?
· Jó 42: 11- Como presente dos seus amigos após sua restauração Jó o homem justo e temente a Deus (Jó 1:1), recebe um monte de anéis. Para que isso se ele não usasse?
· Pv. 1:8-9- O escritor de provérbios compara o ensino dos PIS que é uma coisa muito boa, com diademas e colares, ou seja, compara com adornos, enfeites. Isto mostra que para ele os enfeites eram coisas importantes e boas. E não podemos esquecer que ele escrevia inspirado pelo Espírito Santo.
· Pv. 25:12- Uma pessoa sábia é comparada com jóias e brincos de ouro.
· Is. 61:10- Jerusalém é representada como se fosse uma mulher,que está recebendo as bênçãos de Deus (3), e estas bênçãos são comparadas com enfeites, com as jóias de uma noiva.
· Ez. 16: 1-14- Este texto é maravilhoso e esclarecedor. Deus compara Jerusalém com uma mulher, e como se Ele fosse um esposo que está feliz com sua mulher, lhe dá todo tipo de jóias, e ainda diz que ela enfeitada está com a gloria dele refletida (14).
· Ap. 21: 1-2- a Nova Jerusalém, que é um símbolo da Igreja glorificada, é comparada a uma noiva quando se enfeitava para o casamento.
3.d- Será que se as jóias fossem algo que Deus abomina e que os cristãos não deveriam usar o Senhor faria as comparações que acabamos de ler em sua Palavra, e daria e receberia as mesmas de seu povo? É óbvio que não. Todas estas passagens mostram que nas Escrituras nada existe de proibições com respeito as jóias, e que o povo da Bíblia as usava normalmente.
(continua)


[1] EATON, Michael A. e CARR, G. Lloyd. Eclesiates e Cantares (São Paulo: Vida Nova, 1989), pp. 62-63.
[3] Esta palavra enfatiza algo vão, vazio. Falta de objetivos, o caminho que não leva para lugar nenhum. ROGERS, Cleon e RIENECKER, Fritz. Chave Lingüística do Novo Testamento Grego (São Paulo: Vida Nova, 2006), p. 218.

10 comentários:

Cida Kuntze disse...

Olá Pr. Anselmo!
É verdade, é um tema polêmico.
Gostei dessa primeira parte abordada aqui.
Abraços.

disse...

Pois é meu amigo tudo é vão " VAZIO". O que me espanta Anselmo é que ainda existe pessoas vã de conhecimentos rsss.
Eu nem perco meu tempo com estes assuntos maninho. Pois ainda hoje, coa-se um mosquito e engole um camelo. Hoje em dia ta pegando tudo na igreja e as pessoas estão preocupadas com costume. Só a graça.
Muito bom o artigo e bastante esclarecedor, tomara que aprendam com ele. Paz

Só para mulheres! disse...

Incrível como no século que vivemos hoje isso ainda gere polêmica!
As pessoas continuam achando que podem se "salvar com obras", quando na verdade estas tais "obras" contra a "vaidade" nem tem respaldo bíblico e muito menos peso de salvação eterna para quem as observa.
Deus tenha misericórdia!

Anselmo disse...

Obrigado Cida por registrar sua opinião,infelizmente é polemico sim e ao que parece ainda atual.
Paz!

Pastor Anderson Andujar disse...

A paz meu pastor, li e me identifico muito com o texto a seguir, concordo plenamente com ele e agradeço pelas citações bíblicas que nos economizam tempo quando formos questionados a respeito.

Mas não podemos deixar de citar algo aqui, tudo deve ser feito ou usado com modéstia e bom senso.

Gostaria de saber a sua opinião (para formar um juizo melhor e trocar experiências, nunca afrontá-lo pois você sabe a estima que tenho para contigo). O que o sr acha por exemplo de uma mulher que coloca 20.. brincos em uma só orelha, rsrs? Ou outras que usam piercings em várias partes do corpo, inclusive nas genitálias, ou aquele homem que usa alargador nas orelhas e nariz a ponto de deformar o próprio corpo?

Antes que alguém me chame aqui de preconceituoso, quero deixar bem claro que não o sou, mas como líder preciso formar opinião quando for questionado por aqueles que me procuram, principalmente opiniões baseadas e sustentadas na Palavra de Deus.

Abraços, em Cristo...

Anselmo disse...

Querido Pr Anderson.
Eu também o tenho em alta estima por seu carinho e por todas as experiencias que temos trocado aqui pelo blog.
Eu concordo com texto, considerei lúcidas as ponderações feitas pelo Pr Joelson.
Quanto aos 20 brincos em cada orelha devo lhe dizer que se coubessem 40 para mim seria melhor.Minha esposa é design de jóias e temos uma fábrica de jóias folheadas a ouro aqui.É de onde vem nosso sustento e de onde tiramos recursos para investir no Projeto que dirijo e em tantas outras coisas.Logo, quanto mais brincos na orelha, melhor para os negócios!Rs,rs.
Mas, falando sério agora,sou contra todo tipo de exagero,creio que sempre nos prejudica de alguma forma.
Precisei rever alguns conceitos e preconceitos sobre esse tema, uma vez que, na maioria das vezes os jovens que chegam até nós, vindos do submundo das drogas chegam assim. Tatuados e cheios de furos pra todo lado.
Procuro sempre orientá-los,mas não creio que evocar a questão do pecado seja uma boa tática, uma vez que, pelo menos em meus estudos não encontro balizamento para tal.
Falo do preconceito que sofrerão na hora de conseguir um emprego,dos prejuízos para nossa saúde quando saímos por aí furando nosso corpo de todo jeito,do perigo de infecções e outras coisas.
Não proíbo nada, apenas oriento, e isso tem funcionado.
Alguns que pedem minha opinião sobre fazer tatuagem, usar alargador de orelha e outras coisas,ouvem de mim o mesmo conselho que dou aos meus filhos, até porque,é como eu os considero.
Aconselho que não façam, mas não lhes digo que é pecado.Procuro tentar fazer com que pensem sobre o conselho de Paulo: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam". 1 Coríntios 10:23
No caso das tatuagens não a muito o que fazer, o processo é praticamente irreversível.Então tive de me adaptar em ver os irmãos do meu lado com caveiras,dragões e outros bichos espalhados pelo corpo.E quer saber? Alguns deles são bençãos de Deus em minha vida e na vida da Igreja aqui.
Paz!

Pastor Anderson Andujar disse...

Caro Pr Anselmo,

Obrigado por expor seu ponto de vista de forma tão clara.

Também tenho aqui amigos e irmãos em Cristo que têem ou tiveram piercings e são bênçãos, assim como tenho também pessoas que fizeram tatuagens no passado.

Acredito que o diálogo com amor seja realmente a melhor forma de conduzir essas situações.

Perguntei, sua opinião porque tenho aqui uma pessoa que é tatuador, ele ainda nao se "firmou" bem na igreja, mas é uma bênção e tem vindo com regularidade e sinalizou o desejo pelo batismo.

Estou orando com ele para saber a melhor forma de conduzir a situação.

Vou orar pra Jesus aumentar as orelhas por aí, KKKKK.

Abração...

GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

Em primeiro lugar, parabéns pelo marco que o senhor esta alcançando, realmente não é fácil galgar tantas participações, com tanto conteúdo evangélico a ser acessado na internet.Tambem quero parabeniza-lo pelo projeto resgate vida.

Quanto a postagem em pauta, ela é muito polêmica, quem é a favor é taxado de legalista e fariseu, quem é contra é taxado de libertino e mundano, é um tema difícil de ser tratado com equilíbrio, respeito a fé alheia e temor e seriedade de ambas as partes.

A maioria das pessoas que discutem essa questão, tem dificuldade de discuti-lá pacificamente. Fala se muito em ter equilíbrio, mas essa e um questão quem não tem como ficar neutro, ou você é a favor ou contra.

Quanto a ser uma questão de muita discórdia e polêmica,não é unica, pois todos os temas relacionados a fé cristã tem gerado polêmica e discórdia, podemos citar questões tais como:questões escatológicas,atualidade da manifestação dos dons espirituais, novo nascimento...

Quanto as argumentações apresentadas de cada lado são muito relativas,afinal o relativismo predomina entre os cristãos.

Falando em relativismo, eu fico pensando, todos os teólogos estudam e conhecem as regras de hermenêutica, as vezes estudam na mesma faculdade depois não concordam entre si em quase nenhum tema doutrinário.

Sem contar pessoas que adquiriram seus diplomas de faculdade teológicas até em outros países, e hoje estão pregando teologia da prosperidade, confissão positiva...

Mas pra finalizar, o que esta acontecendo hoje é aquilo que o apostolo Paulo disse:amontoarão para si doutores segundo suas propiás concupiscência...

Quanto a minha posição eu sou favorável aos usos e costumes,ainda que taxado de legalista e fariseu.
Tenho minha posição definida, e ate hoje ninguém conseguiu com nenhuma argumentação nem se quer abalar minha crença,muito menos mudar meus pensamentos.E eu não passei por uma lavagem, cerebral como muitos dizem, pois sou da igreja assembleia de Deus, e ela esta abandonando os seus usos e costumes e mesmo assim eu continuo na mesma crença.

A coisa que mais gosto é de conversar com pessoa, que de maneira nenhuma concorda comigo nesse tema.

No demais fica na paz do senhor.

disse...

Rss To rindo de ti Anselmo, sobre os 20 brincos e se fosse 40 seria ótimo pois sua esposa é design de jóias. sou contra costume pois não salva ninguém, mas também não vamos exagerar assim né? eu não uso tatuagens nem piercing, acho que tudo tem que haver equilibrio. No mais é só costume e é passageiro. Paz.

Orlando disse...

Prezado Pr Anselmo, assim como no tema igreja eu também tentei discorrer sobre o assunto em um post na minha pág enfatizando as descritivas e prescritivas bíblica - o Sr já ouviu falar deste método???

Neste caso prezo pelo equilíbrio (sem extremos) do qual nosso amigo Geraldo parece não acreditar! E na distinção adequada de cultura e doutrina exposta no post em voga! E o texto bíblico esclarece alguma coisa parecida em Hebreus 1.10-12 sobre tal distinção, o Sr não acha?

Já respondi sua última visita, não fique bravo comigo, certo dia comentei no Point Rhema que "apologética sem polêmica não é apologética", tá certo? Vamos aprender uns com os outros, amém?

Abraços
Orlando

Real Time Web Analytics
Template personalizado por Elaine Gaspareto

TOPO ▲