Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"União homoafetiva" é o escambau!

Que diabo é “união homoafetiva”, de que tanto se falou no Supremo ontem? Por que os heterossexuais, quando põem aquilo naquilo, “transam”, “fazem sexo”, “copulam” — e outros verbos e substantivos que não devo usar num blog quase de família —, e os gays mantêm uma união ou relação “homoafetiva”? Por que não se diz também “união heteroafetiva”?
Quando se recorre a essa linguagem de apelo eufemístico, quem é que está exercitando o preconceito? Quer dizer que a cópula celebrada segundo os meios tradicionais oferecidos pela natureza é “sexo”; já a outra é “homoafetividade”? Heterossexual tem tesão; gay tem afeto, é isso?
É curiosa essa operação mental — e, de fato, de caráter ideológico — que consiste em dessexualizar as relações gays para que pareçam, então, expressões de uma humanidade superior, grandiosa, que pairasse acima dos apetites e vulgaridades humanas. O ministro Ricardo Lewandowski, que se esforça para roubar no meu coração o lugar ocupado por Ayres Britto — tudo na maior heteroafetividade heterossexual, hein… —, disse ontem:
“(…)estão surgindo, entre nós e em diversos países do mundo, ao lado da tradicional família patriarcal, de base patrimonial e constituída, predominantemente, para os fins de procriação, outras formas de convivência familiar, fundadas no afeto, e nas quais se valoriza, de forma particular, a busca da felicidade, o bem estar, o respeito e o desenvolvimento pessoal de seus integrantes.”
Resta evidente: para ele, os gays se juntam pelo afeto e para buscar a felicidade; os héteros, para procriar e cuidar do patrimônio. Meu Deus! Lewandowski andou lendo, a esta altura da vida, “A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado”, de Engels… Era um livrinho muito popular na minha turma quando eu tinha, vou fazer as contas…, 15 anos! Qual é? Até as pedras sabem que a vida social e noturna de boa parte dos gays é muito mais intensa do que a da média dos heteressexuais, e bem poucos estão preocupados com “afetividade”. Não vai juízo moral nenhum aqui. É só matéria de fato.
Então vamos lá. Já que é preciso dar uma marretada na Constituição, já que é preciso ignorar o que lá vai escrito, já que é preciso fraudar a vontade, por enquanto, expressa na Constituição e, vá lá, já que a causa parece justa, então é preciso emprestar-lhe um caráter etéreo, superior, grandioso, até mesmo dessexualizado, para que a resistência ao que se pretendia ver aprovado no Supremo fosse vista como uma agressão ao Bem absoluto.
“União homoafetiva” fica parecendo coisa de santos, não de gente. Assim, fraudar a Constituição em nome da homoafetividade parece um avanço humanista; se fosse só para legalizar o casamento gay, aí os ministros não se sentiriam à vontade.
Isso, sim, é moralismo chinfrim. Como se chama cada um dos parceiros de uma relação “homoafetiva”? É um homoafeto?
— Oi, como vai? Este é Jurandir, meu homoafeto!
Sou um libertário! Acho que os gays têm direito de fazer sexo, entenderam? Sem eufemismos.

Por Reinaldo Azevedo - ViAqui Veja:

4 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

anselmo, tudo bem?

você coloca uma questão interessante. mas eu creio que o eufemismo é exatamente para amenizar um ato que até bem pouco tempo era rechaçado pela sociedade moralista brasileira, feitas de dignos cidadãos de família que sempre tiveram suas aventuras escondidas da esposa e sempre se punham como arautos da moralidade. é ainda aquele ranço machista de que homem que não gosta de mulher é "marica", "afeminado", "digno de levar uns tapas para se curar", etc.

contudo, concordo com a crítica que você faz; também sou um libertário(você é mesmo ou foi piada? rs) e creio que a decisão do supremo foi acertada já que existem muitos casais gays que vivem juntos há 5, 10, 20 anos, e não tinham seus direitos de herança reconhecidos.

vamos deixar os gays em paz. será que não dá para ser cristão sem achar que a moral cristã é a moral que deve ser imposta a toda a sociedade?

aliás, nem isso, pois atualmente o que falta em muitos cristãos é exatamente, moralidade. ou ética, para ficar melhor colocado.

valeu, abraços

CONFERENCISTA RICARDO RIBEIRO disse...

Caro amigo Pr. Anselmo, paz. O Hermes Fernandes, a turma do Genizah, o Edu Medeiros, o Claudio Nunes, o Caio Fábio e cia, devem estar muito felizes com o STF. Afinal, nós da equipe do Júlio Severo nunca tíamos razões mesmo, sendo sempre ridicularizados e escanteados, por nossa posição ao declarar a verdade do assunto.

Bem, quero lhe dizer que a perseguição já chegou até mim. Eles tem me monitorado e fui demitido do meu cargo de Capelão e a notícia foi dada por um Homossexual de um grupo ativista que atua na minha cidade, na minha porta. Mas, sei que meu Senhor não deixará faltar nada prá mim, minha esposa grávida de 7 meses e minha filha que está chegando. Estou experimentando o que Júlio passou com seus filhos. Seria bom denunciá-los em seu blog, se possível. Agradeceria muito.

Estou profundamente decepcionado com a CGADB e sua omissão neste episódio. A luta pelo poder os deixou tão ocupados, por ocasião do Centenário, que não tiveram tempo de ver o estrago que o inimigo fizera. Com certeza, com o devido respeito, Pr. Silas Malafaia (apesar de falho como qualquer outro) teria evitado isso se estivesse à frente da mesma, pois ele é o único empenhado ao máximo.

Já imaginou, usar nossas revistas de EBSs para saturar nosso povo de informações a respeito de tais ameaças e como reagir, Mensageiro da Paz, demais periódicos e meios virtuais e televisivos? Já pensou se ele pedisse aos Pastores dos 27 Estados, que trouxessem cada um os abaixo-assinados de todos os membros de seus respectivos estados, para levar ao Congresso barrando tais leis anti-cristãs?

Corre na Internet comentários de que, por ele ser Maçom não poderia se manifestar contra o Movimento Gay, pois a Maçonaria é a que mais apoia eles. Há um vídeo inclusive, de um Ex-Maçom grau 33 chamado Stefanis Saad, hoje pastor, que o acusa formalmente. São 3 vídeos, este é o 3º. Veja o Link:
http://www.youtube.com/watch?v=Pa3MGz4Ikuw

Este outro afirma que ele falsificou documentos para o curso de Direito.
http://www.youtube.com/watch?v=gRjlbrlA-Hs&feature=player_embedded

Tais acusações não podem ficar sem resposta, senão configura revelia, isto é, quem cala consente. Ele precisa nos dar sua defesa.

Só da Assembléia de Deus são quase 30 milhões, somando um total de 50 milhões de Evangélicos no País, que estão sofrendo essa humilhação do STF por falta de União e Organização.

Algo parecido estar acontecendo com as cantoras chamadas hoje blasfemamente de "Divas". Aline Barros, Cassiane, Fernanda Brun, Ana P. Valadão, etc. Por terem assinado contrato com Gravadoras Pró-Gays não poderiam se pronunciar. Preferem a fama e o dinheiro, do que a vergonha da Cruz de Cristo.

Sem falar que o STF não aprovou a Lei de Ficha Limpa que deveria, não julgou os Petistas do Mensalão mas, aprovou a união homoafetiva que não era de sua competência pois, acabaram criando uma Lei e criar Lei só o Congresso pode. E isto fizeram para agradar quem os nomeou Lula/Dilma. Sem falar que Dilma, segundo Dep. Manoel Ferreira que representava por ocasião das eleições os evangélicos, disse que ela se comprometeu em cartório a permitir que tal assunto viesse a ser discutido apenas no CONGRESSO.

Rasgaram a Constituição e pisaram na Democracia, o que é muito perigoso. Mas, não podemos nos calar. Temos que pressionar nossos líderes. Ainda temos a PL 122, PNDH 3 e o Kit Gay. Devemos também divulgar o Plebicito que Marco Feliciano está promovendo para derrubar a ação do STF. Informe tais verdades ao Pr. José Carlos, sei que ele pode muito influênciar neste cenário, pois para isso Deus vos levantou. Para ser Sal e salgar. Senão, seremos pisados pelos Hom(ossexuais)ens.

Forte abraço, paz. Obrigado Blog
SOMENTE A VERDADE.resistenciacristaj.blogspot.com

Anselmo Melo disse...

Estamos juntos meu irmão.Vou preparar um post com suas denuncias.Paz!

Anônimo disse...

É preciso barrar esse homo-facismo...

Real Time Web Analytics
Template personalizado por Elaine Gaspareto

TOPO ▲