Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sensualidade a flor da pele


Estamos felizes com o fato de que muitas igrejas esteja finalmente falando do problema da pornografia e do assunto da pureza no Corpo de Cristo, e ajudando os homens a lidar com essa questão. Mas por que é que pouco ouvimos sobre a pureza para mulheres no modo como elas se vestem? Estou falando sobre mulheres que professam ser seguidoras de Cristo. Elas se tornam uma pedra de tropeço para os seus irmãos quando se vestem de maneira sedutora ou se vestem para ser sexy conforme a moda do mundo. Porque?
Essa é uma pergunta importante, e é muito séria. Pouco tempo atrás eu estava falando numa igreja, e constatei que eu não podia olhar para certa direção da congregação por causa do modo como uma mulher estava vestida. Isso ocorre frequentemente. Tenho estado também em outras igrejas em que não dá para olhar para a equipe de louvor por causa do modo como uma mulher está vestida e fazendo balanços sensuais ao segurar o microfone. É algo que esperaríamos numa boate, não é verdade? Mas, isso está ocorrendo na igreja — no Corpo de Cristo!
Sou completamente a favor do sexo e penso que é bacana que uma mulher seja sexy com o seu marido. A ironia é que há casos em que as mulheres se acostumaram muito com uma aparência sexy em público, mas na realidade não têm nenhum relacionamento sexual com seus próprios esposos. Por isso, temos duas questões acontecendo com relação à questão da modéstia — a modéstia em público e a modéstia quando o Corpo de Cristo está reunido. E essa última questão é imensamente importante.
Quando eu era pastor de jovens muitos anos atrás, tínhamos dificuldade de aceitar roupas de banho — e esse problema é muito pior hoje para os grupos de jovens das igrejas por causa da mudança nos modismos. O modo como as moças vestem seus biquínis e maiôs, mostra muita coisa. A realidade está aí, onde os rapazes olham para essas moças — suas irmãs em Cristo — e assim estão sendo conduzidos à tentação. Não estou desculpando o modo como os homens pensam. É um problema, mas é também verdade — que há responsabilidade aí para as moças, e certamente para os pais e mães, de considerarem seriamente esse assunto.
Quanto à parte da pergunta que foi feita sobre o motivo por que essa questão não está sendo tratada nas igrejas do jeito que deveria, creio que a resposta é o medo. Penso que há muitos pastores e líderes de igrejas que, como muitos maridos e pais, têm medo de abrir a boca por receio de ofender as mulheres que sempre seguem a última moda. Algumas mulheres acham que para estarem na moda, elas precisam ter roupas que sejam sexy — inclusive saias abertas, principalmente saias e calças muito agarradas, e bustiê curtos.

Todas essas roupas transmitem uma mensagem para os homens, e a maioria dos pastores se sentem muito constrangidos de abrir a boca para falar porque chegam a pensar: “Algumas mulheres vão achar que sou pervertido por chegar ao ponto de mencionar esse problema, dizendo: Ah, então é nisso que o pastor fica pensando quando está lá no púlpito? Ou pior ainda, onde o pastor pode pensar: "Elas poderão sentir-se ofendidas e deixar de vir a igreja. Afinal, na atual situação eu não posso perder membros!"
É uma situação difícil, mas é uma questão sobre a qual creio que os homens que são líderes de igreja e de grupos domésticos precisam de coragem para abrir a boca e tratar diretamente. Precisamos também de mulheres dedicadas a Deus (principalmente mulheres dedicadas que tenham moderação no modo como seguem a moda e sejam atraentes no sentido correto de ser atraentes — e não sexualmente atraentes), que de forma carinhosa desafiem outras mulheres e as informem que elas estão enviando uma mensagem errada. E se elas não se importam com a mensagem que estão enviando, então algo está realmente errado e elas precisam se arrepender. Precisamos de conversas francas e claras sobre isso, de modo que as mulheres consigam se conscientizar e compreender a questão.
A Bíblia diz que nossos corpos são templos do Espírito Santo. Isso nos compele a honrar a Deus em tudo o que fazemos e dizemos. Lamentavelmente, muitos relacionamentos impróprios se desenvolvem na igreja. Às vezes começam em grupos pequenos; outros começam por meio de relações de trabalho entre os que trabalham na igreja. Há casos de relacionamentos de adultério que começaram durante retiros de grupos pequenos, onde mulheres e homens se vestiram e agiram de certa forma. Muitos desses relacionamentos poderiam ser evitados se prestássemos muito mais atenção no modo como nos vestimos, no modo como nos encontramos com os outros e no tipo de afeição que mostramos.
Adoro mostrar afeição física. Muitas vezes eu abraço só de lado as mulheres com quem me importo e conheço — se tenho uma amizade apropriada e maior de irmão com irmã — pondo minha mão no ombro delas e chegando-as a mim. Mas evito abraços de frente. As mulheres às vezes não estão conscientes de como esses tipos de abraços podem afetar seus irmãos em Cristo.

Acredito de verdade que a modéstia é algo em que precisamos dar uma olhada muito profunda, cuidadosa e em espírito de oração no Corpo de Cristo. Precisamos evitar nos conformar com este mundo, mas sermos transformados pela renovação das nossas mentes.
Randy Alcorn

12 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezado Pr. Anselmo Melo,
Sem tirar oi acrescentar nada, seu post é excelente, pertinente e necessário.
Parabéns!
Louvado seja o nome do Senhor!
Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
opoderdasescrituras disse...

Prezada Pr Anselmo,

Primeiro gostaria de parabeniza-lo pelo blog, por este e por outros excelentes posts. Segundo, sobre este posts, deixo aqui o mesmo comentário que deixei no blog da irmã Rô; é como segue:

Escrevi um artigo no meu blog intitulado "Sondando o Inimigo. Vencendo as batalhas" em que falo sobre as batalhas dos crentes, inclusive, as tentações.

Esse é um tema bastante complicado e não discutido abertamente pelas igrejas e pelos crentes em geral; mas é um problema bastante REAL.

Julgo que o problema está, tanto em quem se veste, quanto em quem olha. E acho, que, na parte de quem se veste (De forma sensual), Reside a sensualidade imposta pela nossa sociedade moderna,e, também, a "ignorancia" (pois não conhecem a biologia do homem) e falta de amor para com os homens, como Paulo falou: "Se o comer e o beber faz tropeçar meu irmão/irmã, por questão de amor e auxílio nas fraquezas (dos irmãos) não farei algo para os fazer tropeçar. Creio que deveria ser assim em relação as VESTES, mas não é de fato!!!

Em relação a quem olha ou vê, todos sabemos que os homens, diferentemente das mulheres, PECAM/SÃO ATRAÍDOS PELOS OLHOS. E, apesar de algumas mulheres saberem disto, o problema É MUITO MAIS SÉRIO E PROFUNDO do que elas imaginam ou pensam. Os homens não falam muito a esse respeito, e, as mulheres, inclusive as esposas, continuam em ignorância a respeito do que (e por que) acontece com os homens.

Não é caso de desculpar-se, mas, assim como as mulheres são afetadas pelos hormônios por toda a sua vida; pelo menos uma vez por mês e na menopausa; os homens também - a Biologia do homem unidas ao vício, a rebeldia e a sensualidade moderna, é propícia a que sejam assim. Isto não é uma explicação ou desculpa para o pecado ou o desvio; mas é uma explicação para os desejos dos homens.

Estamos acostumados com a frase e não nos damos conta da profundidade da sua verdade e seriedade, mas, para que vcs tenham idéia mais ampla do que acontece com um homem, vejam o que Jesus disse em Mateus 5.28: "só de olhar, o homem já pecou", pois um "simples" olhar do homem, toma contornos "fantasiosos". Digo, alguns olhares, pois nem todos os olhares são mal intencionados.

Para um maior aprofundamento deste problema, recomendo veemente o livro: "A Batalha de todo homem" da Editora Mundo Cristão. Recomendo a homens e mulheres - depois me contem o resultado e o choque que tiveram!!

Assim todo homem e mulher terão mais consciência do que esta acontecendo; e já será um passo enorme para solução deste problema tão atual e sério!!

Deus abençõe a todos!!

em Cristo,

Pr Alex Oliveira.
http://opoderdasescrituras.wordpress.com

René disse...

Amado Anselmo,

Muito apropriado, este texto que você trouxe! E a abordagem foi perfeita, a um assunto que realmente precisa ficar claro e bem direcionado.

Creio que a fuga do legalismo tenha levado a uma conivência com a libertinagem, quando o certo seria um meio-termo: nem a determinação do que vestir, nem a permissividade inconseqüente.

A chamada correta, feita neste texto, é à consciência das conseqüências de tudo o que fazemos. Por isto, o autor citou, até mesmo, a questão do abraço. Devemos evitar, a todo custo, sermos pedra de tropeço para as outras pessoas. Para isto, a boa consciência deve ser invocada a todo instante.

Muito bom: nem legalismo, nem permissividade inconseqüente. Apenas boa consciência!

Abração e continue na Paz do Senhor!

Anselmo Melo disse...

Querido Pr Alex.
Concordo com o irmão. Boa parte desses problemas poderiam ser evitados se houvesse uma compreensão por parte das mulheres quanto a essas diferenças. A mulher prefere atribuir o fato em discussão ao um pecado do homem, ou a uma fraqueza particular do individuo envolvido na ação (olha) e desejar.O julgamento simplistas feito na maioria das vezes pelas mulheres dificulta o diálogo e o homem acaba por se calar para evitar ser taxado disso ou daquilo. Agradeço pela recomendação do livro e pela participação do irmão aqui no blog.
Paz!!!

Anselmo Melo disse...

É verdade querido irmão. Creio que falta diálogo sincero em relação a essa questão. Não discutir o assunto e fingir que esta tudo bem não ajuda em nada.
Paz!!!

opoderdasescrituras disse...

Prezado e, agora amigo Pr Anselmo,

Disponha os agradecimentos. É bom ver que existem Pastores, homens que estejam dispostos a tocar, lavar, expurgar esta ferida aberta e purulenta, que muitos nem estao conscientes da SERIEDADE E PROFUNDIDADE. Como vc disse muitos por nao compreenderem a fisiologia/biologia do homem abordam (isto, quando abordam) este assunto superficialmente e de uma forma simplista.

Há muito, sabemos que há uma dialética/discussão dentro do relacionamento entre o homem e a mulher, sobre as DIFERENÇAs/DIVERGÊNCIAs: Fisiológica/Biológica, Emocinal, Sentimental, entre os dois. Só que esta "dialética/discussão" o homem é o insensível, o "grosso", o imcompreenssívo, etc etc etc. Isto se deve, julgo eu, pela pressão que há anos sofremos das mulheres/esposas; pois elas são abertas a falarem dos seus sentimentos; elas tem uma necessidade maior de falar.

O Resultado é que sabemos um pouco mais das mulheres. Por Ex: Sabemos que existe e quando se manifesta a "TPM", a Menstruaçao e suas implicações, A Menopausa e quando ela se dá, etc.

Mas as mulheres não conhecem os homens, para elas, nos resumimos a: "Todo homem só pensa naquilo" ou "Todo homem é safado"; mas não sabem o "porquê"; não sabem se existe uma causa para isto e como isto se dá. Os homens não se sentem a vontade de falar sobre seus sentimentos e suas vidas mais "íntimas", principalmente porque, certamente, a maioria das mulheres não compreenderiam. Por isto impera, ainda, a ignorância!! Mas, assim como as mulheres dizem: "Vcs não nos entendem"; digo o mesmo: "Elas não nos compreendem".

Por estas duas razões acima, deveriamos, todos nós, homens e mulheres, esposos e esposas, deixarmos de lado os pré-conceitos próprios e começarmos a refletir sobre este assunto. Não adianta teorizarmos a respeito do que sabemos ou pensamos, para entendermos das mulheres devemos prestar atenção e nos colocarmos em seus lugares para compreendermos suas necessidades e fraquezas. O inverso é verdadeiro!

E para aqueles que acham que é uma coisa natural ou que não há jeito, ignoram, o número de adultérios dentro e fora da igreja; ignoram o número imenso de separações, dentro e fora da igreja!!

Como vc disse, "O assunto é sério e complexo".

Desculpe o tamanho do texto!!

Deus abençõe a todos.

Pr Alex Oliveira.
http://opoderdasescrituras.wordpress.com

Ricardo Couto Jr. disse...

Graça e paz a todos!

O assunto é realmente de grande relevância. A igreja tem bebido das oferendas do mundo da moda. A questão, como bem foi colocada, não está ligado se é moda ou não. Mas, principalmente, se é conveniente. Tudo nos é lícito, mas nem tudo convém. O equilíbrio equacionado à boa consciência deve ser alcançado nas assembleias. Nunca foi tão investido ataques do reino das trevas, como nesta área. A falta de uma palavra, por medo de ser legalista, de fato trouxe uma permissividade passiva à culpa.

O Senhor ajude as irmãs a compreenderem esta verdade. O Senhor ajude aos irmãos, principalmente aos casados, a redobrarem seus cuidados. A imposição sobre assuntos de conduta, de fato gera morte. Mas, a palavra pronunciada em Cristo, gera vida em abundância. E dá frutos que brilham. O equilíbrio em Cristo, Sua centralidade em nossas vidas é a única saída. Beber de Sua pessoa, manter comunhão com Ele. Este é o caminho!!

O Senhor mesmo nos guarde e as irmãs também!

Seu irmão, amigo e servo,

Ricardo Couto Jr.
Salvador - Bahia
http://rickmcj.blogspot.com

Anselmo Melo disse...

Obrigado meu irmão Ricardo Couto por sua valiosíssima participação neste post. O assunto realmente requer de nós toda diligencia.
Paz.

Blog do Dumane - Duarte Rego disse...

Graça&Paz!!
Gostei do post e creio que há uma necessidade de reformular determinados valores.

Uma pergunta: Este texto não é original de Jeff Polard autor do livro: Deus o estilista, editora Fiel?
Li este texto lá.

Abraços.

Anselmo Melo disse...

Paz meu irmão.
Bom, o texto foi me apresentado assinado pelo Randy Alcorn, ele é diretor do Eternal Perspective Ministries e escritor.
Vou dar uma conferida lá no seu blog.
Paz!

Blog do Dumane - Duarte Rego disse...

Ok irmão, fico no aguardo.
Já agora agradeço-lhe por ser seguidor em meu blog.

Abraços

Real Time Web Analytics
Template personalizado por Elaine Gaspareto

TOPO ▲