21/01/2010

A tragédia no Haiti e nossos “homens de Deus”.


Sofrimento, dor, destruição desesperança. Quantos adjetivos mais poderiam usar para descrever o tamanho da dor de um povo tão sofrido e que a tanto foi explorado.
Profetas se levantam no meio do povo, praguejando e sentenciando o castigo divino como causa de tamanha desgraça. Afinal, eles não servem ao “deus ocidental”, ao “nosso” deus...
Nosso deus é melhor, é capitalista! Citam a bíblia para justificar o rio de sangue que jorra das pedras da tão assombrosa destruição.
No calor de tudo isso sonhei. Quem me dera ser um daqueles de José, certamente enviados por Deus e com garantia eterna de concretização.
Sonhei que os poderosos de nossa nação “gospel” se tornaram sensíveis ao clamor que vem de lá.
Os missionários em Miami, Fort Lauderdale, Boca Raton e outros tão “necessitados” quanto fizeram as malas e desembarcaram em Porto Príncipe.
RR Soares, Edir Macedo, Estevan Hernandes, Robson Rodovalho, Valdomiro e tantos outros abriam seus cofres para abençoar os haitianos. Cai da cama quando vi o Silas Malafaia leiloando seu jatinho para fazer o mesmo.

Doce sonho ou pesadelo tenebroso? Sei lá. Só sei que não sou profeta da desgraça. Mais até quando as lideranças da Igreja brasileira vão fazer esse joguinho? Até quando nosso povo os sofrerá?
Dobremos nossos joelhos meus irmãos, pelo Haiti e por nós mesmo, para que as misericórdias de Deus nos alcancem em tempo oportuno.
Pr Anselmo Melo
Author Image

Anselmo Melo
Anselmo Melo, Carioca, casado e pai de três filhos (herança do Senhor). Pastor Evangélico e empresário. Moro atualmente no Estado de São Paulo onde pastoreio a Igreja de Nova Vida em Limeira. Sou fundador e presidente da Associação Projeto Resgate Vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante,
Você pode elogiar ou criticar, observe apenas:

1-Não publicamos criticas de ANÔNIMOS e nem comentários que não estejam relacionados com o assunto.

2-Baixarias e palavrões também não.

3-Nem todas as publicações são de minha autoria e o fato de estarem aqui não implica necessariamente em que eu concorde com todo o teor do post.

4- Quer ser respeitado? Mostre respeito!